quinta-feira, 18 de junho de 2009

Não sei o título



Este poema o Manuel escreveu num comentário deste Blog. Gostei! Resolvi coloca-lo aqui onde todos podem ler.


Eu sou de todas as cores, de todos os sons,

de todas as dores, de todos os tons...

Sou água, terra, fogo e ar...

Sou a inércia e o caminhar...

Sou brisa, sou tempestade...

Sou mentira, sou verdade...

Sou lua minguante, sou lua cheia...

Sou pegadas na areia...

Sou a rosa e o espinho...

Sou afeto e sou carinho...

Sou sol, sou maresia...

Sou barulho, sou melodia...

Sou razão, sou sentimento...

Sou a eternidade e o momento...

Sou matéria, sou espírito...

Sou a doença e o antídoto...

Sou séria, sou anarquista...

Sou menina, sou mulher...

Sou o que me der na telha...

Sou o que vc quiser...

Só não imutável, nem uma tediosa mesmice...

Eu não sou MAIS eu... Eu sou apenas EU...

E mesmo assim, imperfeita, já me dou por satisfeita...



Nilza Rodrigues





11 comentários:

A Magia da Noite disse...

muitas vezes somos tantas coisas que não sabemos bem o que somos, se somos.

angela disse...

Somos tudo e não somos nada.

Angela Guedes disse...

Oi Angela!!!
"Eu sou apenas EU...
E mesmo assim, imperfeita, já me dou por satisfeita..."
È verdade!!!
Ótimo este poema.
Bom fim de semana, amiga.
Beijinhos.
Angela

manuel marques disse...

"A função da perfeição é fazer com que cada um de nós conheça a sua imperfeição "

Beijo querida amiga.

Babel disse...

Nossa, tó besta de ver a sua inspiração, nem sei onde comentar
Just do it!!!
Bjs

AFRICA EM POESIA disse...

Angela

Obrigada ...
O triângulo da vida muitas vezes é assim...


Beijos


Deixo

Inexplicável


Inexplicável o Amor...
Inexplicável a Vida...
Inexplicável o Sofrer...
Inexplicável o Morrer...

Tanta coisa que é inexplicável...
Tanta coisa que urge repensar...

Para isso é preciso matar...
Matar a fome e a sede...
Matar a maldade e arrogância...
Matar o orgulho e a vaidade...
Matar o vício e o egoísmo...

E então...

Inexplicavelmemte surge nova Vida...

Inexplicavelmente o esperar é Alegria...
Inexplicavelmente o morrer é Vida...
Inexplicavelmente o Amor é Eterno

LILI Laranjo

Princesa disse...

"Que a estrada se abra à sua frente.
Que o vento sopre levemente às suas costas.
Que o sol brilhe morno e suave em sua face.
Que a chuva caia de mansinho em seus campos.
E até que nos encontremos de novo,
Que Deus lhe guarde na palma de sua mão."

Beijos

angela disse...

Lili
Obrigada pelo poema.
è sempre bom te-la aqui.
beijos

angela disse...

Princesa
Que bom que veio me visitar e me trouxe um poema tão lindo.
Bem que estou precisando de um pouco de cuidado.
Beijos

angela disse...

Angela Bom fim de semana para você.
E agradeço sua gentileza.
Beijos

angela disse...

Manuel
Tanta coisa bonita você nos da de presente!
Beijos