sábado, 6 de junho de 2009

O amor e seu tempo

AMOR E SEU TEMPO
Amor é privilégio de maduros
estendidos na mais estreita cama,
que se torna a mais larga e mais relvosa,
roçando, em cada poro, o céu do corpo.
É isto, amor: o ganho não previsto,
o prêmio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado,
que, decifrado, nada mais existe
valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio minúsculo,
vibrando no crepúsculo .
Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência herdada, ouvida.
Amor começa tarde.

Carlos Drummond de Andrade

Esta poesia foi postada para os (as) maduros (as), inclusive eu, pois a vida esta ai, inteirinha para ser vivida.

8 comentários:

manuel marques disse...

Deus inventou o sexo, nós inventámos o amor. Ele tinha razão .

Beijo querida amiga.

angela disse...

Um nos da alegria e o outro substancia.

Dalva M. Ferreira disse...

Oi, amorosa! Então... os seus comentários já estão lá, publicadinhos da silva. É que tem que moderar primeiro, e só então o blogger libera. Questã de segurança pública... hehehe.

Obrigada pelas palavras sempre tão gentis. Dá vontade de ser melhor e melhor.

Babel disse...

Que lindo!!! Adorei

AFRICA EM POESIA disse...

Angela
Obrigada pela visita

Neste mundo virtual sinto alegria quando começo a conhecer e a sentir a palavra amizade...

Beijinhos

Angela Guedes disse...

Oi Ângela!!!
Que lindo este poema, ele nos passa a mensagem de um amor profundo e infinito.
Beijinhos, amiga;
Angela

angela disse...

Oi Angela
Um amor profundo e infinito como os maduros conseguem amar.
Beijos
Angela

A Magia da Noite disse...

o amor é um oceano, onde a tranquilidade das carícias se mescla com a furia do êxtase, em constantes ondulações de prazer.