sábado, 26 de setembro de 2009

JOAQUIM

Joaquim nasceu em um 14 de Julho lá pelo final de 1800, o primeiro de 10 filhos . Uma epidemia que levou muitas crianças e alguns adultos juntos, quase que sem piedade nenhuma, poupou Joaquim, que adoeceu, mas não morreu como veio a acontecer com a maioria que contraiu aquele mal. Tinha 10 anos nessa época e a partir dai sua mãe começou a trata-lo de maneira especial, ele já não era tão bom em matemática e ciências, esquecia como se escrevia certas palavras. No que dizia respeito a esperteza, continuava igual, ficou achando que aquela dor de cabeça infernal, que judiou dele por dias teria lhe deixado alguns buracos dentro de sua cabeça .
Joaquim que já gostava de dizer que tinha nascido num dia especial, desde que ouvira a professora dizer que nascera na comemoração do centenário da revolução francesa, era o primeiro filho e não tinha morrido de meningite, juntou tudo: O dia do nascimento, a sobrevivencia e o tratamento diferente da mãe e passou a achar que ele era especial. Nasceu em dia de festa e assim deveria ser sua vida.
Começou a se comportar diferente, parou de ajudar na fazenda, como faziam todos, alegando que a cabeça doía com o sol. Não quis retornar ao internato, o ano já estava perdido e acabou não voltando mais.
Aprendera a ler e escrever e sabia fazer as quatro operações matemáticas e isto era suficiente. Brincar, nadar no rio, andar a cavalo, isso tudo não dava dor de cabeça. O pai não gostava da história, nem os irmãos acreditavam muito, mas a mãe, bem...a mãe não queria correr o risco de perder o filho e todos acabavam acatando e deste jeito, Joaquim foi crescendo , na vida fácil e despreocupada.
Ficou um homem alto e forte com um par de olhos azuis, herança de um avô que veio de terras muito distantes, emoldurados por longos cílios, cabelos pretos e fartos e grossas sobrancelhas, pele muito clara, definitivamente um homem bonito.
As moças se apaixonavam aos montes e apesar de ser de família rica, não era muito do agrado dos pais. Aquele homem bonito que não trabalhava, passava o dia conversando e namorando, não daria bom marido e casar não fazia parte dos desejos de Joaquim.
Os irmãos foram casando, formando suas famílias e tendo seus próprios afazeres. O pai ia pondo os filhos para cuidar de alguma de suas terras e permitia que criassem algum gado e assim eles foram aprendendo a cuidar das terras e ter seu próprio dinheiro. Quando casaram já tinham algum património.
Chegou o dia que o pai já não aguentava mais trabalhar tanto, suas costas doíam e um de seus joelhos estava sempre inchado, mudou-se para a cidade e ficava alguns dias lá, alguns dias na fazenda, que o filho mais novo ficou cuidando.
Joaquim mudou-se junto com os pais e adorou morar na cidade, agora não tinha hora para voltar e a vida virou uma festa com o dinheiro que conseguiu de sua mãe.
Começou a viajar, saia por esse mundão a cavalo e ficava meses fora, as vezes mandava notícias. De tempos em tempos voltava para visitar a família.
Um belo dia chegou na fazenda de José, seu irmão mais velho, uma mulher com dois meninos, um ainda de colo e outro maiorzinho, procurava José o pai de seus filhos. Explicava para uma Don´Ana completamente atonita, que estava passando dificuldades, que o dinheiro tinha acabado e ele não voltara na data prometida e ela tinha resolvido vir ao seu encalço.
Don´Ana pediu que ela entrasse e esperasse pois Seu José voltaria na hora da janta e ai poderiam conversar. Mandou servir um suco com bolo para eles e pediu licença tinha algumas coisas para providenciar.
Na verdade foi respirar, chegou a pensar que teria algum mal súbito de tão sufocada que se sentia.
Tomou ela um copo d´agua e pediu para Antonia levar a água quente que esperava por José para a tina de banho. Aquela água seria dela, amornada e perfumada sossegou um pouco seu coração que voltou a bater mais compassado, mas o ar teimava em não sair, dava longos suspiros de tempos em tempos.
Quando retornou a sala, Seu José já estava lá e conversava com a mulher. Ele olhou a mulher e viu sua expressão e logo foi informando que havia algum engano eles não se conheciam, mas ela tinha informações da família e ele estava sem entender. Estava visivelmente desconfortável e desconfiado.
Don´Ana menos assustada foi fazendo perguntas para a mulher e ela respondendo todas, via-se que sabia muito da família deles. Quando perguntou como era o José que ela procurava, ela disse que até lembrava seu marido, mas era mais magro, tinha olhos azuis e eles tinham vivido juntos dois anos em Matão.
A luz se fez, entenderam na hora o que devia ter acontecido. Seu José estava tão bravo que pegou seu cavalo e foi para a cidade atrás do irmão. Encontrou-o no bar do Gervásio e teve que esforçar-se para não arrebenta-lo. Chamou-o e foi contando o que estava ocorrendo, Joaquim ficou sem jeito e falou que não queria continuar com aquela mulher. José levou-o para a casa dos pais e contou o que estava havendo. Depois de muita discussão, ameaças, gritos e choros decidiram que ele deveria conversar com a mulher e propor que eles criassem as crianças e ele daria algum dinheiro para ela começar a vida em algum lugar.
Assim foi feito com muita confusão, recriminações, choros, gritos e etc. As crianças ficaram com a avó que ficou feliz em ter crianças para cuidar de novo, a mãe foi embora com a promessa que voltaria para busca-las (o que nunca fez) e Joaquim prometeu que não usaria mais o nome de nenhum irmão em suas aventuras (o que não cumpriu).
(imagem retirada do Google)

53 comentários:

Chica disse...

Noooooossa! Que confusão e que lindo conto! O nosso por lá acabou e na 2feira tem mais.Até amanhã tem o do blog da Lilia.(arco-irisdavida.blogspot.com) um beijo e tudo de bom.Aparece lá!chica

manuel marques disse...

A parte que não gosto de um conto é de ser curto,

Beijo.

Princesa disse...

Passei para fazer a minha visita de sempre...
Aproveito para agradecer também a sua visita e o carinho que me dispensa sempre

O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis...

Tenha um bom domingo cheio de coisas boa
Beijinhos

M. Nilza disse...

Inspiração não faltou para este conto!!!

Beijos e bom domingo

.Lis disse...

Um jovem bonito, de olhos azuis e completamente sem noção, hem? rsrs
Gostei Angela que os Joaquins passem longe das nossas casas, nao?
Um belo domingo
Abraços

angela disse...

Chica
Muita confusão mesmo.
Vou aparecer sim, estou adorando a brincadeira.
beijos

angela disse...

Manuel
Eu devo continua-lo, mas sempre serão pedaços pequenos.
beijos

angela disse...

Princesa
Nos vemos todos os dias...rs
beijos e até amanhã.

angela disse...

M.Nilza
Obrigada pela visita.
beijos

angela disse...

Lis
Tem homens que são um perigo.
beijos

O Profeta disse...

Passei para te deixar um terno beijo...

angela disse...

Profeta
Obrigada
beijos

Luciano Braz disse...

Guria vir mergulhar em teus contos é muito bom.

Conheci alguns Joaquins por ai rsrs.

Este texto faz parte de algum livro seu?

Super abraço e otima semana.

Luciano Braz

angela disse...

Luciano
Não tenho pretenção de escrever um livro, só de contar histórias. Adoro histórias.
Também conheci alguns Joaquins..rs
Beijos

A Magia da Noite disse...

a vida é uma sucessão de ciclos que se interligam e nos levam a caminhos diversos na vida.

Mariana disse...

Joaquim é o nome do meu sogro, e ele é maravilhoso.
Adorei o conto.
Agradeço tua visita e desejo-te uma semana produtiva.
Beijo e um forte abraço.

angela disse...

Magia
Uma sucessão de acontecimentos que só adquirem algum sentido quando se encerra.
beijos

angela disse...

Mariana
Tenho certeza que seu sogro não tem nada desse Joaquim...rs
beijos

AFRICA EM POESIA disse...

Angela

obrigada por esta hora é a hora de começar de novo...
no seu coração.

Gostei do Joaquim...

um beijo

angela disse...

Lili
O Joaquim era uma pessoa especial,~todos gostava dele, principalmente pelo humor e pela sinceridade.
beijos

Maria José disse...

Existem pessoas que nasceram para serem livres. Elas não assumem responsabilidades, não gostam de horários e patrões. Vieram à essa vida para brindar. Esperdiçam o tempo em aventuras e, com certeza, terão que voltar em outras vidas, para fazerem de novo esta escola. Ou seja, não passaram de ano e vão ser repetentes. Beijos.

Princesa disse...

_OBRIGADO PELA SUA VISTA TÃO CARINHOSA _________0______________
____________00______AS AMIZADES
____________0000_______VERDADEIRAS__
___________000000____SÃO COMO__
__________00000000_______AS ESTRELAS__
________000000000000__________NÃO____
00000000000000000000000000000__AS_____
__0000000000000000000000000__VEMOS__
____000000000000000000000___TODA_____
______00000000000000000___HORA____
_______000000000000000___MAS SABEMOS_
_______000000000000000_____QUE ELAS ___
______00000000000000000_______*EXISTEM*_
_____000000000_000000000___________TENHA
____0000000_______0000000___________UMA
___000000___________000000___ÓTIMA
__000___________________000_ SEMANA...

BEIJINHOS

angela disse...

Maria José
Eles não são produtivos, fazem um monte de besteira por ai, mas são inesqueciveis.
beijos

angela disse...

Princesa
Obrigada e tenha uma boa semana.
beijos

Na. disse...

Se a pessoa não quer assumir responsabilidades, tem que tomar cuidado com o que anda fazendo por ai com os outros...

Xerus
=***

Chica disse...

Oi,Angela.Passei pra te dizer que mais um nosso conto acabou e podes mandar teu email pro meu:
rtazza@gmail.com
Queria te mandar o link mas não tenho,

beijos,obrigado pela participação,chica ( terça à noite, inicia outro,rsrs..Vamos que vamos,né?)

as santinhas disse...

angela, obrigada pela visita e pelo sincero comentário. gostamos de pessoas assim.
abraços. @_@

Aqui - Ali - Acolá disse...

Bom dia Angela:

Uma história engraçada com várias peripécias pelo meio pois o Joaquim quem haveria de dizer que no fim aquilo que prometeu não cumpriu?

Mas como ele, muito há pelo mundo onde as promessas não passam de (apenas palavras).

Gostei desta história bem curiosa.

Bjos, felicidades e uma boa semana.

Cadinho RoCo disse...

A vida e seus entreveros.
Cadinho RoCo

Lau Milesi disse...

Olá Angela!!! Tudo bem? Já cheguei de viagem e vim te visitar. E que recepção!!! Muito interessante o conto. E muito lindo, esse Joaquim.Conheci muitos "Joaquins" como esse. rs

Um beijo

E.T. Aproveito para agradecer seu carinho durante a minha ausência. Adorei suas visitas. Estou deixando um post novo , contando as "news".

angela disse...

Na
Infelizmente os Joaquins não tem esse cuidado.
beijos

angela disse...

Oi Chica
Tenho adorado participar, amanhã estarei lá.
beijos

angela disse...

Santinhas
Foi um prazer ler o blog.
Beijos

angela disse...

Aqui-Ali-Acola
Tem pessoas assim neste mundo.
Que bom que gostou.
Beijos

angela disse...

Cadinho
Pois é...
Beijos

angela disse...

Lau
Seja bem vinda!
Tem muitos Joaquins por ai.
Depois irei visita-la
Beijos

Sandra Botelho disse...

Claro que pode seguir o blog das encalhadas prá mim vai ser uma honra.
Olha tbem não sou encalhada não, mas escrevo histórias que ouço, se vc tiver alguma história, ou mesmo uma cronica, este blog é aberto a todas as mulheres que já passaram por situações delicadas ou engraçadas. ou já ouviram alguma história e querem dividir. Obrigado querida pelo comentário. Bjos no coração!

Daniel Costa disse...

Angela

Uma prosa muito interessante para ler e para reflectir. Por muito abastado que seja, não deve haver filhos especiais. Pode tendências, fui criado com sete irmãos onde elas eram evidentes, mas por notadas afectusidades mútuas mais acentuadas.

Angela, Angola vinte e sete meses de férias, as melhores da minha vida
Para o meu espírito de observador, foram tempos maravilhosos.
Beijos
Daniel

O Profeta disse...

Sonhei com a música
Com as palavras que nunca te direi
Sonhei contigo vestida de brisa
Descobri gravada numa árvore a palavra amei

Uma flecha cruzava um coração
Uma cor vermelha escorria sentir
Olhei para o horizonte
Quatro passos adiante marcaram o partir

Ofereço-te um sonho


Mágico Beijo

Chica disse...

Angela.Passei pra avisar que acabou de ser iniciado mais um Conto por lá.beijos,chica

Princesa disse...

Obrigado pela sua visita sempre carinhosa

Tem coisas que acontecem na vida da gente que não tem explicação perdemos a chance de amar e sermos amados por medo, por "estar longe", por achar que as diferenças vão atrapalhar, ou a idade, mas esquecemos que um amor perdido jamais nos voltará e que a pior coisa no mundo é viver sem um amor."

Beijinhos

Mariana disse...

Tem um selo no meu blog para ti.
beijos e um forte abraço.

angela disse...

Sandra
Já estou acompanhando, assim que o tempo permitir deixarei historias por lá.
beijos

angela disse...

Daniel
Que bom que gostou e tem razão, filhos especiasi costumam resultar em filhos incapazes.
beijos

angela disse...

Profeta
Obrigada pelo sonho e pelo beijo magico.
são sempre bem vindos
beijos

angela disse...

Chica
Já passei por lá.
beijos

angela disse...

Princesa
Obrigada querida
beijos

angela disse...

Mariana
Obrigada, adorei
beijos

Chica disse...

Angela, vim te agradecer e deixar o meu beijo pela presença em meus blogs.chica

angela disse...

Chica
Obrigada
Tem sido um prazer
beijos

Karina disse...

Não é de se admirar que Joaquim ficasse desse jeito relapso. Sempre levou uma vida muito fácil por se achar especial. A formação de caráter vem do berço.

Beijos

angela disse...

Karina
Tem toda razão, ele foi muito pouco exigido.
beijos

Irene Moreira disse...

Custei mais encontrei, mas o homem danado esse do Joaquim... bem estou curiosa e vou para o segundo capítulo. Beijos