domingo, 4 de outubro de 2009

Lembro de Drummond

Poesia de minha autoria, inspirada no poema "Pernilongo", de Carlos Drummond de Andrade



Ela chegou devagar

Como quem já se vai

Mal notei que cá estava

Ficou presente,

Lembrava-me dela sempre

E aquilo que era sutil

Inseparável tornou-se

De maneira tal,

Que quando a esqueço.

Demonstra sua força

Toma-me toda

Impossível estar sem ela

Ela se agarrou em mim.

Quando resolvo ir,

Não suporto,

Dona de mim ficou.

Maldita dor!

(angela di munno arruda)


40 comentários:

.Lis disse...

" no entanto,sonhamos.E isso é poesia ..."
também lembra Drummond ,Angela.
Alguns sentimentos chegam assim , devagarinho e nos entremeios a vida vai mudando de textura, nao é? ora um amor, ora uma dor rsrs
Boa semana ,fica bem , abraços meus.

P.S gostei muito da foto do perfil.

manuel marques disse...

Ler Drummond é sempre um prazer,Grato pela partilha.

Beijo querida amiga.

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

…os
estoy
escribiendo
y
llorando
dolor
mas
congoja
aprietan
es
como
ríos
de
calor
frió
donde
dormida
su
angustia
da
bienvenida
al
miedo.
ahora
cataratas
de
alegría
tras
leeros
ver
viendo
el
animo
de
saludaros
deja
deslizarse
esta
lagrima
doblada
en
el par
de mis
mejillas
y
con cada una
para
todas-os
una
dentro
del
corazón
que
bebe
ahora
del
alma
al tragar
hiel
hielo
hecho ausencia
y
os
brindo
con dos
tiempos
segundo y
segundero
unidos
llenos
de
amor
y
paz…



desde mis horas rotas , aula de paz , saludos de
corazón , vida y amistad .



José ramón.

Braulio Pereira disse...

obrigado por lembrar

fico a olhar.

neste paraiso singular..

to querendo amar.

beijos..

Chica disse...

Que lindo ler isso,Angela! um beijo e linda semana nova pra ti,chica

REGINA GOULART SANTOS disse...

Que belo poema de Drummond Angela.
À propósito, só tenho a lhe felicitar por ter aceito e acertado em cheio o desafio da "regra" ou "exceção" no amor. Você conseguiu decifrar nas entrelinhas.
Parabéns. Fiz no meu blog um pequeno comentário sobre a verdadeira face do eterno amor, aproveitando sua bem elaborada reflexão.
Beijos

angela disse...

Lis
Verdade, alguns sentimentos chegam assim, algumas dores também.
Obrigada
beijos

angela disse...

Obrigada Manuel
beijos

angela disse...

Jose Ramon
Lindo poema me deixou.
obrigada
beijos

angela disse...

Braulio
sempre tão lindas e inspiradas palavras
beijos

angela disse...

Chica
Obrigada querida e boa semana
beijos

angela disse...

Regina
Obrigada, vou até lá dar uma olhada.
beijos

AFRICA EM POESIA disse...

Vim buscar oselinho...
obrigada pelo mimo.
Beijinhos

Marcos Takata disse...

Drummond é Drumond, grande. Sempre bom ler. Bj

REGINA GOULART SANTOS disse...

Olá querida Angela. Estou agora passando o desafio literário para você. Vamos lá. Encante-nos com seu jeito especial de ser.
Lembra do meu ? Ah, sim, por favor, se puder, passe para outra pessoa, e assim, paulatinamente, os livros ficarão magistralmente entremeados ... hehe
Exemplo :
"Olá, amigos! Recebi este desafio da querida amiga(o) ----------- http://---------- blogspot.com . Este é um desafio diferente, principalmente para quem gosta do hábito da leitura. Desafio 1-agarrar o livro mais próximo. 2-abrir na página 161. 3-procurar no quinto parágrafo, a primeira frase. 4-colocar no blog, e falar um pouquinho sobre ele. 5-não escolher a melhor frase, nem o melhor livro. 6-passar o desafio para algumas pessoas.
Bjs.
Boa leitura,

Dalva M. Ferreira disse...

Obrigada pela visita e pelo carinho. Escrevi aquele post inspirada por esse sentimento que nos causam estes nossos amiguinhos de quatro patas, mais amigos que muito bípede por aí... Um animalzinho nos faz mais humanos, paradoxalmente.

Sandra Botelho disse...

A dor, é como um brilhante incrustado com perfeição por um ourives do amor.
O amor as vezes é pura dor, mas um dor que aquece e ao mesmo tempo mata.
Mas antes morrer de amor, que viver sem nunca amar.
Beijos querida, obrigado por sua presença tão constante e doce em meu blog.
Esteja sempre presente, sua luz é necessaria.

angela disse...

Lili
Beijinhos

angela disse...

Marcos
Obrigada por gostar de meu poema.
beijos

angela disse...

Regina
Farei isso amanhã.
beijos

angela disse...

Dalva
Observo meu gato e outros animais de amigos e penso que nos humanizamos todos, eles também...rsrsr.
beijos

angela disse...

Sandra
Verdade amiga.
beijos

Lídia Borges disse...

E... quando a dor vem assim, de mansinho fico sem saber se dói se afaga.

Lindo o poema escolhido.

L.B.

angela disse...

Lidia
Fico feliz que tenha apreciado meu poema.
beijos

Angela Guedes disse...

Oi Ângela!!!
Belíssimo seu poema, gostei muito.
Estou passando para deixar a você meu carinho e lhe desejar uma ótima semana.
Beijinhos
Ângela

angela disse...

Oi angela
Obrigada pela gentileza.
Uma boa semana para você
beijos

angel disse...

Muito bonito seu poema inspirado em Drumond. A dor pode ser algo difícil de suportar às vezes pois fere e maltrata. Assemelha-se ás vezes ao cinzel de um escultor. Raspa e fere a matéria para extrair a verdadeira obra de arte.
Sempre saímos melhor depois de qualquer sofrimento, seja físico ou emocional. Aprendemos e crescemos.
abraço
angel

Giselle Costa disse...

Puxa, que lindo poema !! já que não tenho este dom venho curtir o dos amigos. Parabéns !!

A dor chega mas tem hora pra acabar... pode confiar. :)

bjs
Gi

angela disse...

Angel
Tomara que passe.
obrigada pelo carinho
beijos

angela disse...

Giselle
Prazer te-la aqui.
beijos

Eliane Jany Barbanti disse...

Olá querida Angela, tem um selinho no meu blog Fitness:- http://aptidaofisicaesaude.blogspot.com/, aguardando por v/c com amor e carinho!!!
Eliane

angela disse...

Eliane
Obrigada querida
beijos

MOMENTOBRASLCOM.COM disse...

Parabéns,Ângela. Se DRUMOND estivesse vivo com certeza tb lhe daria os parabéns. Abrs.Roy Lacerda.

angela disse...

Roy
Obrigada pelo comentário, não ousaria a tanto.
abraços

Silvio Koerich disse...

Grande Angela metendo poemas e evoluindo.

Abraço!

angela disse...

Silvio
Obrigada pelo elogio
beijos

Débora Camargos disse...

Amei sua casa! Lindo poema!♥

angela disse...

debora
A casa é sua, é só entrar.
beijos

Kaf disse...

Prezada Angela,

Como você,sou admiradora de Drummond desde a minha pré-adolescência.Tenho um escrito saudoso sobre a sua partida em 1987.
Vejo sinais claros da sua influência nas linhas que consigo tecer. Ele nos ensina a conviver com os poemas antes de escrevê-los. Belo demais!

Abraços.

angela disse...

Kaf
Eu sempre acabo voltando nele, sempre que associo algum fato com um poema é ele quem surge.
Obrigada pela partilha.
beijo