quarta-feira, 4 de novembro de 2009

E por falar em brinquedos...

Este texto faz parte da blogagem coletiva: vou de coletivo, criado por Murillo Hildebrando do blogPalavras de Osho , cujo tema Brinquedos: dos mais antigos aos mais recentes, foi sugerido por Ana Filipa do blog Coisas Banais.








Falar em brinquedos é falar em criança, brincar é a atividade prioritária de qualquer pequeno, desde que nasce. Primeiro o corpo da mãe depois o seu corpo, dedos na boca, pé na boca, tudo que encontra na boca. Este “jogo” é conhecimento que ele vai adquirindo e que começa assim, através dos sentidos principalmente a boca. O sabor tem a mesma raiz etimológica de saber e tente tirar da boca dela o objeto e verá no mínimo indignação, espanto e raiva. A criança tem prazer nestas atividades e este é o grande diferencial das outras atividades humanas, brincar sempre são prazer e alegria e o brinquedo coadjuvante importante nesta atividade.

Muitas vezes temos um olhar de menos valia para com a brincadeira, dizemos: Isto não é brincadeira. Não brinque comigo. Não estou brincando, Pensa que isso é brinquedo? etc. E nem nos damos conta da importância que esta atividade tem no desenvolvimento das habilidades da criança, de seu corpo e de sua personalidade..

Desconfio até que esta negação da importância do brincar se deve justamente ao prazer relacionado com a atividade, Todos têm, em algum momento, que deixar de ser orientado pelo prazer. O que não significa abrir mão dele. Acredita-se que ele se restringira aos fins de semana, recreios, férias, os chamados períodos de lazer e descanso e acabamos por criar uma oposição entre trabalho e prazer.

Este é um assunto que dá pano pra manga e existem muitos livros sobre esse assunto e muitas opiniões a respeito, portanto não vou me estender por ele.

Como toda atividade humana os jogos, brinquedos e brincadeiras acompanham a cultura e o momento histórico. Alguns brinquedos são universais como a bola. Não conheço uma cultura que não tenha algum tipo de jogo de bola. Correr, nadar, pular, subir em árvores, imitar os pais, figuras importantes, animais, cantar, dançar e tantas outras brincadeiras com pequenas mudanças estão em todos os lugares. Quando criança, por exemplo, brincávamos de mocinho e bandido, hoje em dia as crianças brincam de trafico de drogas, a questão é com quem a criança se identifica com o mocinho ou com o bandido. a brincadeira em si não é o problema.

Atualmente temos outros brinquedos como os jogos eletrônicos, internet, etc. e como a criança é flexível e aberta ao novo, aprende rapidinho e incorpora como jogo aquilo que o adulto faz. Dizemos que parece que as crianças atualmente já vêm com um chip, tal a facilidade que elas têm em mexer com essas coisas horrorosas.

Brincar é tão sério para a criança como é trabalhar para o adulto, tem aí uma diferença, que é a da responsabilidade, o prazer deve ser procurado no trabalho., assi m como procuramos ensinar as crianças a responsabilidade pela vida


Desenho generosamente cedido pelo artista plastico Marcelo Dalla do blog:

Dalla Blog

67 comentários:

Norma Villares disse...

São tantas brincadeiras que a criatividade pode encontrar, e ajudar a encantar a criança interior.
Vamos lá Angela!
Abração

Chica disse...

Mindo e a conclusão, brilhante...Temos que resgatar a alegria, curiosidade e entusiasmo das crianças e também nós, usá-las...beijos,tudo de bom,chica

angela disse...

Norma
Obrigada pela leitura.
beijos

angela disse...

Chica
Que bom que gostou, o tema estava dificil, apesar do tanto que se tem para falar....talvez por isso...srs.
beijos

angel disse...

Brincar é tão importante que os adultos quando param de brincar adoecem, se tornam ranzinzas. a brincadeira para os adultos muda de nome, chama-se lazer. Cada um "brinca" com aquilo que lhe dá mais prazer. alguns homens adoram jogar futebol, outros adoram jogar cartas, outros correr de kart. São todas formas adultas de jogos infantis. A importância dos jogos, das brincadeiras está diretamente relacionada à alegria e a felicidade.
quando tinha meus filhos pequenos, sentava-me no chão e brincava com eles. Eram horas de prazer. Prazer por estar com eles e prazer por poder brincar. Agora aguardo meus netos para de novo voltar a brincar, sentada no chão.Enquanto isto não chega, brinco com jogos na internet ou participo de atividades que me tragam praze como por exemplo, ler. ler o que escrevem meus amigos blogueiros é um divertido e prazeroso passatempo.

Um abraço
Angel

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Ângela,

Fez uma abordagem diferente ao incluir os bebês, interessante...

Beijos e, também, estou nessa,
Ana Lúcia.

Catarina disse...

Adorável teu blogue, Angela.
Infelizmente ainda não tenho filhos, mas concordo com muito do postou. Brincar para mim, quando criança, acredito que era tão importante quanto respirar.

beijinhos

A Magia da Noite disse...

quem nunca brincou não sabe como viver.

A Magia da Noite disse...

quem nunca brincou não sabe como viver.

angela disse...

Angel
Concordo que a brincadeira muda de nome para o adulto, mas acho que devemos procurar o prazer também no trabalho e nas atividades diarias.
Que venham os netos!!!
beijos

angela disse...

Ana Lucia
Obrigada.
beijos

angela disse...

Catarima
pra mim também.
beijos

angela disse...

Magia
Concordo com isso completamente.
beijos

Essência e Palavras disse...

Angela....Me tornei mais menina ao ler seu texto.


Beejo, boa quinta.. amiga!

Raquel disse...

Olá flor, vim fazer uma visita, adorei o post, também participo do vou de coletivo semana que vem postarei o meu texto. sabe que vc tem razão com o tempo a gente vai crescendo e o ato de brincar é trocado pelas horas agonizantes no trabalho o que nos torna infelizes, mau humorados e com a saúde abalada se pudéssemos trazer o prazer de brincar para a vida adulta com certeza seríamos mais felizes...Bjos

angela disse...

Essencia
Legal, vamos brincar então.
beijos

angela disse...

Raquel
Acho que temos que olhar com carinho para as coisas que fazemos no dia a dia e tentar ver o que tem de gostoso naquilo e poder brincar um pouco com o que se faz.
beijos

.Lis disse...

Oi Angela
Brincadeiras de crianças . Ótimo seu texto .
Ótimo quando paramos pra observar as brincadeiras de hoje, e de fato ha´ mudanças, mas a alegria e o prazer continuam iguais ,principalmente quando essas crianças ainda são de fato puras como deve ser toda criança.
Acho que nao saberia escrever sobre brinquedos, não os tive, da infancia tenho vagas recordações.Bloqueio total, rsrs
Abraços, parabéns, boa participação.

angela disse...

Lis
Obrigada pela gentileza de suas palavras e o que escreveu ai é quase um post. Claro que sabe.
beijos

Sandra disse...

Estou também no coletivo.
Como é bom brincar e ser feliz.
Nossas lembranças voltam a tona com esta coletiva.
Achei muito legal o comentario da Angel.
As vezes os adultos esqueçem de continuar brincando. Ainda bem que eu me divirto muito. Principalmente quando estou muito envolvida com as crianças.
Valeu pela postagem...
Meu endereço é:
http://sandrarandrade7.blogspot.com/

Com carinho
Sandra

angela disse...

Sandra
Obrigada pelas palavras e pela visita.
Já passei pelo seu blog.
beijos

REGINA GOULART SANTOS disse...

Que pena que as crianças de hoje não saibam o que seja uma cantiga de roda, um conto de fadas, brincadeiras como pique-esconde, amarelinha, as três marias, cama de gato, e tudo de maravilhoso que outrora existia.
Suas ingenuidades são retiradas de forma grotesca, pulando etapas, e por via de consequencia, poderão se tornar adultos desajustados, agressivos, dentre outros comprometimentos psicológicos mais graves.
Hoje, com o advento da internet, devem ser melhores orientadas pelos pais e responsáveis, por correrem riscos, e que, por sua vez, não poderiam delegar seus papéis apenas a cargo dos professores, sob a injustificável desculpa de total falta de tempo.
Ser mãe e pai é acima de tudo, um ato de amor. Implica em acompanhar, participar, agir, estimular, doutrinar, e também dar bons exemplos.
Muito lindo o livro. Já o li tempos atrás.
Belo post para reflexões.
Beijos

Teresa disse...

Olá Angela
Gostei muito do seu texto sobre a evolução do conceito de brincadeira. Também acho que levámos longe esta distinção entre trabalho e brincadeira: o trabalho também dá prazer e brincar pode ser uma coisa séria.
Obrigada pela visita.
Bjs

Dri Viaro disse...

Bom dia!!
Vim conhecer seu blog, e desejar bom fds
bjsss


aguardo sua visita :)

angela disse...

Regina
Obrigada pelos comentários, eles enriqueceram meu texto.
beijos querida.

angela disse...

Teresa
Bobear a gente amarga a vida sem necessidade, só pra fazer cara de sério.
beijos

angela disse...

Dri Viaro
Obrigada pela visita.
beijos

natalyfala disse...

Que saudade que me deu de voltar a ser criança...

Bonito texto, beijos...

Maria José disse...

Angela. As brincadeiras são infindáveis, não só para a criança, como também para o adulto. Brincar é essencial em qualquer idade. Restabelece o equilíbrio interior, dá segurança e alegria para continuar a jornada da vida. Amei o seu comentário em Plenitude. Beijos.

angela disse...

Natalyfala
Obrigada pela visita.
beijos

angela disse...

Maria José
Obrigada pelo comentário que enriquece meu texto.
beijos

manuel marques disse...

A infância continua. Os brinquedos é que mudam .

Beijos.

marcelo dalla disse...

Querida!!! Este post ficou incrível!!! Só agora puder vir apreciar. Está rico, cheio de informações preciosas... nunca tinha pensado no forma de expressão negativa da palavra "brincadeira" ...
Grato por usar minha ilustração!
bjosss

Tyna disse...

Nossa menina adorei esse tema escolhido...
E muito do que li aqui, mechamou ainda mais a atenção para o jeito de meu filho...

Nunca vi uma criança tão rápida e criativa... ele adora imitar os adultos, em especial eu e o tio dele... Acredita que mais de uma vez, ele disse que queria fumar (a namorada do meu irmão fuma)e tomar cerveja?

Ele já chegou a virar a chave do carro, e fazê-lo funcionar...


Ficamos surpresos como aprende mesmo com tanta rapidez, cuidado redobrado! Semre em alerta por aqui


beijos e bom fds...

Angela Guedes disse...

Oi Angela!!!
Seu texto trás ótimas informações adorei.
Beijinhos
Ângela

angela disse...

Manuel
A infancia continua, os brinquedos e o jeito de olhar para ela que mudam.
beijos

angela disse...

Marcelo
Obrigada pela visita e pela ilustração que generosamente me cedeu.
Fico feliz que tenha gostado de ve-la ilustrando meu texto.
Beijos

angela disse...

Tyna
Eles veem bem mais do que a gente imagina e aprendem mais com o que veem do que com o que a gente tenta ensinar.
beijos

angela disse...

Angela
Obrigada querida
beijos

Mariana disse...

Gostei do texto, mas lamento que muitas brincadeiras ótimas da infãncia foram "esquecidas".
Tenhas um lindo fim d semana.
bj

Daniel Costa disse...

Angela

A magia dos briquedos, para mim foi que nunca possuí algum que não fabricasse, a história valeu um post noutro operador. Se não veio para "mundo e vida" virá quando lá chegar.
Outros tempos!...
Angela nomeie-te para linkar selo ontem no "amigos selinhos" do daniel milagre. fica o convite, OK?
Beijos,
Daniel

angela disse...

Mariana
Obrigada e de fato muitas brincadeiras estão ficando esquecidas, principalmente nas grandes cidades em que temos uma perversa combinação de jogos eletronicos (nada contra eles), perigo nas ruas e maior exigencia escolar.
beijos

angela disse...

Daniel
Teve a maior magia, sem duvida. Fabricar o proprio brinquedo é a maior das brincadeiras.
Obrigada pelo presente.
beijos

Renato Fierce disse...

SE pudessemos aprender algo com as crianças, de algum tempo atras, e olhar para o trabalho como uma forma de prazer e de aprendizado muitas coisas nas brincadeiras das crianças de hoje em dia seriam diferentes. Adorei o rumo do texto rs. Abração!

Sassá Luz disse...

Angela, brigadu pela visita.
Bom lembrar, deixar na memória essas coisas da infância querida.
Bjs

Lídia Borges disse...

Os brinquedos actuais (na sua maioria) tem o triste objectivo de cortar toda a criatividade existente na criança. Costumo dizer que os brinquedos brincam sozinhos limitando a criança no jogo, o exercício que representa um factor de desenvolvimento das competências essenciais da criança.

L.B.

Ricardo Calmon disse...

belíssimo post esse miga Angel,ameiiiiiiii!

Campos floridos simplesmente blog e posts seus emanam!

Viva Vida!

Na. disse...

Seu post ficou muito bom, permitiu uma reflexão no quanto o brincar é importante e no quanto muitos ainda o menosprezam!

Xerus
=***

Lau Milesi disse...

Sem dúvida, Angela. Belo texto! "Brincar é condição fundamental para ser sério".(Arquimedes)
(tenho essa frase lá no finalzinho do meu blog).

Um beijo. Estou de volta, depois de 4 dias fora.

Princesa disse...

Oi passei pra te deixar beijos e te dizer que:
___#______#________###__###
___#______##############_#
___#________________#####__#
__#__________________________# *a amizade é uma grande
__#___________________________# * conquista, e mesmo que
__#___________________________# *estejamos perto ou longe,
####_____##____________##____### *presente ou não, a simples
__#_______##____________##____# * manifestação de carinho,
#####___________##___________###* e atenção mesmo que
___#__________________________# *seja através dos recadinhos
____#________________________# *dos blogs, já trazem grandes
_______#__________________# *alegrias em nosso dia a dia
______#__##_##########_#
_____#____#____#____#___#_#
___#____#______###______#_# *
___#_____#________________#_#
____##_#################
________#________#________#
________#________#________#
_________######_#######
Bom fim de semana
Beijos de Princesa

angela disse...

Renato
Obrigada pela leitura e comentários.
beijos

angela disse...

Sassa Luz
É bom lembrar dessa época.
beijos

angela disse...

Lidia
Tem toda razão, esses jogos eletronicos nem precisam de companhia.
beijos

angela disse...

Ricardo
Obrigada querido
beijos

angela disse...

Na.
Foi nisso que pensei.
beijos

angela disse...

Lau
Esses gregos já sabiam de tudo.
beijos

angela disse...

Princesa
Obrigada pela visita e pelo poema.
Bom fim de semana
beijos

Carla disse...

Oi Angela. obrigada por sua visita, lá no meu bloguinho. Muito legal seu texto, especialmente aquela parte que diz que "acabamos por criar uma oposição entre trabalho e prazer". Isto realmente é um erro, as pessoas que tem prazer no trabalho produzem como se estivessem brincando, com um sorriso e muito felizes, e isto só traz vantagens!
Aliás, é como blogar, uma brincadeira de gente que já cresceu um pouquinho!! Bj

angela disse...

Carla
Concordo com você e acho que temos que tentar encontrar algum prazer no trabalho.
beijos

J. Araújo disse...

Até nós, mesmo adultos, quantas vezes nos pegamos brincando com alguma coisa!! Pena que as brincadeiras de hoje se tornara muitas vezes mecanizadas.

Abraço

angela disse...

J.Araujo
Ainda bem que ainda brincanos.
beijos

Reino da Fantasia disse...

Agradecendo a sua visita Angela e aplaudindo a beleza deste texto .bjs

angela disse...

Reino
Obrigada
beijos

Ann disse...

Ola,
Vim conhecer o teu blog tambem...
Gostei do teu texto, e mesmo a pura verdade, a importancia das brincadeiras na infancia, que ira se refletir na idade adulta. Infancia feliz, com memorias bonitas a serem resgatadas sera uma influencia muito positiva no futuro.
bjs
Ann

angela disse...

Ann
Pelo menos a gente começa a vida com um bom tanto de alegria.
beijos

Ana Filipa Oliveira disse...

Agradecida pela referência à minha pessoa e por ter aceite o desafio do Vou de Coletivo! Até ao momento, penso que é o texto mais analítico do acto de brincar. Gostei da relação prazer e brincadeira, bem como a marginalização desse acto. Mais uma vez, o meu obrigada. Até breve!

angela disse...

Ana Filipa
Foi um prazer participar.
Obrigada pelos comentários e pela leitura cuidadosa.
beijos