terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Parabéns Verseiro!!!!


Aceitei o convite do Elcio para comemorarmos o aniversário de 3 anos do blog
VERSEIRO , postando uma história de nossa infância.
Só que antes vamos comer um bolo de acordo esta comemoração.




Recordando


Éramos em três, um seguidinho do outro, um por ano até minha mãe descobrir que
estava usando a "tabelinha" ao contrario, ou seja, período fértil liberado, período não fértil fechado. Neste engano viemos os três, duas meninas e um menino. Crescemos juntos, quase gémeos em uma pequena cidade.

Vivi lá até os dez anos e foi um tempo muito bom, muito livre, apesar dos "olhos da cidade". As vezes ia para a esquina e de lá via os finais da cidade: norte, sul, leste, oeste.Tinha aprendido os pontos cardeais. A cidade era tão pequena que todos se conheciam e claro, todos cuidavam de todos. O mais difícil era fazer alguma "arte" sem ser surpreendido por alguém e isto foi se tornado um dos grandes desafios, mas a gente não se continha muito não, então o que pesava era se o que seria feito valia o provável castigo ou não. A resposta quase sempre era sim.

Perto de onde eu morava tinha um "fabrica de arroz", na verdade fazia o beneficiamento do arroz, Tiravam a casquinha dele, que ficava empilhada em grandes montes enquanto o arroz era ensacado. Passávamos sempre por ali e ficamos sonhando em descer aqueles montes, mas era proibido (imagino hoje em dia o estrago nos montes, o trabalho para arruma-los).

Num domingo fomos a matine com um amigo mais velho, encontramos outros amigos e depois do filme nos livramos do acompanhante e fomos todos para a tal fabrica, pulamos o muro e foi uma farra e tanto, foi tão bom que esquecemos da hora, quando percebemos começava a escurecer, saímos na disparada e no caminho encontramos meu pai no carro desesperado procurando a gente. Não houve reza que nos salvasse naquele dia.



(foto da criança retirada do Google)

42 comentários:

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Angela, ainda bem que sua mãe errou na tabelinha, um é pouco, dois é bom, e três é melhor ainda...rsrs
Essas travessuras assim marcam mesmonossas vidas, são lembranças boas,genuínas num tempo onde as maiores e melhores descobertas eram feitas ao ar livre...
Lógico, as vezes causávamos preocupação,mas quem não as causa não vive,não aproveita os bons momentosa da infçancia...
Obrigado pela participação tão bacana e pela forma de interagir com boa vontade...
Agradeço pelo carinho...de coração e alma...
Depois passa por lá...já postei...rsrs
Um abraço na alma...bjo

Sandra Botelho disse...

Que delicia...
Crescer junto aos irmãos, fazendo artes, brincadeiras, tendo histórias para contar.
Sabe quisera eu ter tido essa infancia.
Bjos meus querida e um lindo dia para você

José Doutel Coroado disse...

Cara Angela,
é sempre gostoso repassar nossas memórias de infância. E, então, quando tivemos a ventura de crescer numa pequena comunidade, é ainda mais gostoso e faz criar "inveja" em quem não passou por tal experiência.
abs

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom Dia !!!

Valor de um Sorriso !

Não custa nada e rende muito.
Enriquece quem o recebe sem empobrecer quem o dá.
Duram somente um
instante mas seus efeitos
ficam para sempre.
Ninguém é tão rico que dele
não precise.

Uma ótima Manhã pra você !

beijooo.

Chica disse...

Adorei,Angela tua participação!parabéns aos dois!beijos,chica

manuel marques disse...

Quem recorda vive duas vezes.
Amei esta historinha.

Parabens aos dois.

beijos .

angela disse...

Elcio
Concordo, ainda bem que ela errou..rs
Beijos

angela disse...

Sandra
Realmente não tenho do que reclamar, foi bom demais.
beijos

angela disse...

José Doutel
Foi muito bom ter crescido por lá, foram 10 anos bem divertidos. Você sabe como é.
beijo

angela disse...

Pelos caminhos...
Obrigada Uma boa semana,
beijo

angela disse...

Chica
Obrigada e que bom que gostou.
beijos

angela disse...

Manuel
Obrigada e fico contente que tenha gostado.
beijo

Renato Orlandi disse...

Aaaah q gostoso passar a infancia em cidade pequena, eu passei tb, a cidade já estava crescendo na verdade então deu p aprontar bem mais rs... E o bolo, aaaaaffff... é por isso q eu nao quero ter filhos rsrs... bjuu!

.Lis disse...

Ah infancia maravilhosa! na cidade pequena, onde todos se ajudam, todos sabem de tudo, é isso, masé uma época muito feliz.
Bonito texto,Angela cada dia um melhor conto.
abraços

angela disse...

Renato
A cidade grande tem suas vantagens, principalmente para adolescentes...rs
beijos

angela disse...

Lis
A eterna vigilância tem suas desvantagens...rs de resto, é muito bom.
beijos

Hod disse...

Ah Infância nada será tão intenso quanto aos tempos de criança. Deliciosa sua infância.

"Tempo bom, não volta mais, saudade, quanto tempo faz..!!" Por Lilico.

Beijo a alma desse criança que agora outro tipo de arte. Com muitas bençãos!!

Hod.

António Rosa disse...

Ângela

Adorei a história da infância. É bom recordar acontecimentos bonitos.

Devido a estar a preparar a minha aula sobre Quíron, para o próximo dia 7, vou estar um bocado mais ausente, sem interagir muito. Sempre que puder, virei aqui.

Beijos.

angela disse...

Hod
A infância é mesmo um periodo especial na vida da gente.
beijos

angela disse...

Antonio
Pena que esteja tão longe gostaria de assistir sua aula. Quem sabe depois conta um pouquinho pra gente?
Sem pre fico feliz com sua visita.
beijos

A Magia da Noite disse...

as estórias de infância têm sempre uma luz especial que nos deixa o olhar brilhante.

angela disse...

Magia
Verdade amigo.
beijos

Maria José disse...

Angela. As histórias de nossa vida são sempre importantes. As da infância são fenomenais. Beijos, amiga.

Norma Villares disse...

Muito boa, Angela.
Recordar a infância dá um gosto de BOCA MELADA com pirulito de limão, doce de umbu, de leite.Bão!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Muichto bão!

Beijinhos poetisa e escritora preferida.

angela disse...

Maria José
São importantes mesmo, elas ajudaram na nossa construção.
beijo

angela disse...

Maria Nilza
Aiii boca lambuzada de doce de leite ...delicia.
beijos

Hugo Cheng disse...

Que bonito texto, recordar é viver as coisas boas que vida leva e trás.
Abraço

angela disse...

Hugo
Obrigada pela leitura e comentário.
beijo

Tertúlias... disse...

Estou ficabdi super emocionado com estas estórias da infancia... li a da Zélia e agora a sua... Que coisa boa, que coisa que cheira a "conhecido e aconchegante"...

angela disse...

Ricardo
Tenho lido as postagens e gostado bastante.
Deve lembrar da sua quando le a nossa.
Beijo

lusibero disse...

PARABÉNS, ENTREMEIOS!
É bom recordar, quando as recordações nos engrandecem!
BEIJO DE LUSIBERO

angela disse...

Lusibero
Obrigada pela gentileza.
beijos

Vieira Calado disse...

Vão comer o bolo "às secas"?

Não bebem nada?

Ah, se fosse eu...

Beijocas

ju rigoni disse...

Ah, que texto mais delicioso de se ler...

Mas, que tabelinha, hein!... Por fim, um erro que tornou-se grande acerto.

Bjs, Angela, e inté!

angela disse...

Vieira
Tem razão, só ofereci o bolo...rs
beijos

angela disse...

JU
Confesso que agradeço o erro todo dia...rs
beijos

Daniel Savio disse...

Menina, é bom conhecer um pouco do teu passado, mas o que voê gostava de fazer quando criança (a brincadeira preferida)?

Fique com Deus, menina Angela.
Um abraço.

angela disse...

Daniel Savio
Minha preferencia era a brincadeira de roda e pular corda.
beijo

Karina disse...

Hahahaha, adorei a história! Relembrar a infância é tão bom como foi vivê-la.

O que seria da criança sem as travessuras?

Beijos!

angela disse...

Karina
Não seria nada, melhor seria um robozinho.
beijos

Stella Tavares disse...

Uma aventura para jamais ser esquecida. Até nós, os seus leitores, a levaremos conoso, naquele ompartimento secreto em que guardamos nossas ternas lembranças. Seu blog, seus textos, cada vez melhores.
Parabéns,amiga.
Bjs

angela disse...

Stella
Você ´muito gentil.
obrigada
Angela