terça-feira, 25 de maio de 2010

QUADRILHA


"João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou pra tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história."

(Carlos Drummond de Andrade)




Paulo tinha olhos claros de um verde intenso

sem mistura do castanho, a boca carnuda,

sensual, nariz pequeno era alto e magro. O

bigode era espesso e lhe dava um ar serio

desmentindo os olhos maliciosos. Fazia o maior

sucesso com as mulheres, elas ficavam

encantadas com sua delicadeza e sensibilidade.

Podia passar horas conversando, ajudava-as a se

arrumarem, tinha muito bom gosto, sempre bem

vestido e o melhor de tudo tinha um humor fino

e sútil com uma pontinha de maldade nos

comentários, a bem da verdade, adorava uma

fofoquinha.


Sergio também era alto e tinha seu charme, mas

era menos encantador que Paulo. Impacientava-se

com algumas conversas e não gostava daquilo que

chamava de futilidade deles, era mais

compenetrado.


Marcia não era muito alta, de pele clara, olhos

castanhos e cabelos escuros e lisos. O olhar,

era o que mais chamava a atenção nela era

intenso, brilhante, convidativo. O andar era

altivo, impossível não olhar para ela.


Eram amigos desde o ensino fundamental,

frequentaram a mesma escola até entrare

m para a faculdade, quando ela foi para um e

eles para outro, entretanto iam juntos e

almoçavam sempre que possível. Os colegas se

referiam a eles como o “ménage” e faziam

apostas sobre a vida amorosa deles já que

estavam sempre juntos e não namoravam ninguém

apesar de não faltar candidatos.


Os anos foram passando e os cursos já estavam

em seu final e nada diferente com eles

acontecia. Enquanto com os colegas muita agua

tinha rolado embaixo da ponte; namoros

desfeitos, casamentos, filhos, etc.


Paulo prestou um concurso para fazer

pós-graduação fora do Brasil e foi aceito,

finalmente o trio iria ser desfeito e assim se

deu. Cada um foi para um lado e só muito tempo

depois a situação se esclareceu para eles e

para uns poucos amigos. Sergio era apaixonado

pela Marcia que por sua vez amava Paulo e esse

amava Marcia... Mas desejava Sergio.



50 comentários:

Lara Amaral disse...

hum, a perfeição está nos detalhes, mas estes são sempre imperfeitos, rs.

Texto criativo, Angela, gostei! ;)

Beijos.

José Doutel Coroado disse...

Cara Angela,
belo texto... e muito actual! Mas, pelos vistos, o que é actual faz tempo que acontece.
como sempre, a diferença está no contar.
e que bem vc contou!
abs

Lau Milesi disse...

Encadeamento de vários desencontros.
Faz parte da vida...
Adoro esse seu lado "contista', Angela.
Beijosss

Marliborges disse...

Coisas da vida. Acontece... Lindo conto. Bjssssss

Chica disse...

Um texto lindo ebem trazido aqui!beijos,lindo dia,chica

Deia disse...

Tal como a Quadrilha, o desfecho nos surpreende! Parabéns! Um beijo, Deia

lis disse...

Gostamos de complicar rs, principalmente quando está chovendo na nossa horta rs
Esqueceu de enfeitar com uma imagem pra dar mais colorido ao conto.
Gostei Angela , as cenas se repetem por aí.
abraços

manuel marques disse...

Excelente texto mas,o amor prega-nos destas...

Beijo.

Anne Lieri disse...

Angela,sempre um conto perfeito por aqui!Que trangulo amoroso inusitado!No final,não rolou nada por tantos desencontros de amor!Excelente,menina!Bjs,

angela disse...

Lara
imperfeições é o que não nos falta..
beijos

angela disse...

José Doutel
Acontece a muito tempo, a diferença está no que se faz com eses sentimentos.
beijos

angela disse...

Lau
Obrigada e desencontros temos muitos.
beijos

angela disse...

Marli
Coisas da vida.
beijos

angela disse...

Chica
Obrigada amiga
beijos

angela disse...

Deia
Obrigada pelo comentário.
beijos

angela disse...

Lis
Obrigada e não coloquei a foto porque estou sem tempo e ai iria demorar demais para postar.
beijos

angela disse...

Manuel
O amor é cego...rs
beijos

angela disse...

Anne
Não rolou nada para ninguém.
beijos

Sandra Botelho disse...

Eita que coisa mais chata isso...Tadinhos neh?

Bjos achocolatados

Daniel Costa disse...

Angela

Para começar uma labirinto interessante, de Drummond de Andrade. Depois não é um dilema que se segue, mas um trilema a trazer a mente sempre em álerta. Em que ficamos? Com sabor a pouco, porque o teu post prende.
Beijos
Daniel

Daniel Costa disse...

Angela

Para começar uma labirinto interessante, de Drummond de Andrade. Depois não é um dilema que se segue, mas um trilema a trazer a mente sempre em álerta. Em que ficamos? Com sabor a pouco, porque o teu post prende.
Beijos
Daniel

Daniel Costa disse...

Angela

Para começar uma labirinto interessante, de Drummond de Andrade. Depois não é um dilema que se segue, mas um trilema a trazer a mente sempre em álerta. Em que ficamos? Com sabor a pouco, porque o teu post prende.
Beijos
Daniel

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Angela...gostei muito do ritmo que você deu a sua escrita...a gente vai lendo e a leitura acba nos prendendo até o fim...
Não ficou nada a dever para o Drumond...rs
Quanto a familia lá...concordo...mas quanto mais me intero sobre a vida deles, mas me preocupo por esse motivo...falta algo, não sei explicar ainda...mas é como se a própria condição os levasse a complicar ainda mais as coisas ao ponto de não ter noção ou iniciativa para que melhorem a própria vida....complicado...rs
Obrigado Angela...um abraço na alma...bjo

Socorro disse...

Nossa! Que complicação, rs! - Mas bem interessante o texto.

Luma Rosa disse...

Os detalhes na descrição dos personagens da sua crônica, mostram que você é uma pessoa muito obsrevadora! Qualidade que faltou aos próprios personagens e que nos falta demasiado, porque se fóssemos mais atentos ao que acontece ao nosso redor, não existiria tantas 'coisas da vida' =))) Beijus,

Maria José disse...

Angela. Gostei do conto. Desencontros podem acontecer. Beijos e ótimo final de semana.

angela disse...

SAndra
Coisa chata mesmo.
beijos

angela disse...

Daniel Costa
Obrigada pelo comentário generoso.
beijos

angela disse...

Elcio
Obrigada pelo elogio...vou descontar a delicadeza...rs
beijos

angela disse...

Socorro
Obrigada e seja bem vinda
b eijos

angela disse...

Luma
Quando se esta envolvido e cheio de desejos a observação é toda comprometida.
Obrigada pela visita. Um prazer te-la aqui.
beijos

angela disse...

Maria José
Podem e acontecem mesmo.
beijos

Socorro disse...

Pois é menina, coitado do pintinho, rssss... Mas a piada vai ter que mudar, eu espero. Beijos e obrigada pela visita!

a magia da noite disse...

a vida é uma cadeia de elos bem fechados que por vezes a ausência e a saudade quebra, desamarra, revela.

Mar de Bem disse...

Mas que delícia!!!

Tertúlias... disse...

Angela querida!!!!! Inspirada, hein??? Gostei, gostei muito!!!!!!!

Deia disse...

Oi Angela! voltando aqui apenas para desejar-lhe um ótimo domingo! Um beijo, Deia

EDER RIBEIRO disse...

O que mais me encanta no teus contos é que vc foge do lugar comum e nos surpreende com o final inusitado. Bjos e obrigado pelo comentário.

Karina disse...

Ahh, tá explicado porque nada aconteceu nesse tempo todo em que andaram juntos! Hahahaha!

Ângela, tem um selo pra você lá no meu blog!

Beijos!

ANA CLAUDIA MARINHO disse...

Li esse texto de Drummmond a pouco tempo.Agora admirei essa intextualidade feita por você.
Um beijo Angela, o seu blog sempre me surpreende.

fui...

angela disse...

Socorro
Obrigada pela visita
beijos

angela disse...

Magia
As vezes revela o inesperado.
beijos

angela disse...

Mar de Bem
Que bom que gostou.
beijos

angela disse...

Ricardo
Fico contente que tenha gostado.
beijos

angela disse...

Deia
Uma boa semana
obrigada
beijos

angela disse...

Eder
Obrigada por comentar com carinho
beijos

angela disse...

Karina
Pois é, demorou mas a explicação acabou aparecendo.
beijos

angela disse...

Ana Claudia
Obrigada por ler e comentar
beijos

Renato Orlandi disse...

EEEEEEEEEEEEEEE... Nossa que orguhooo, muuuuito obrigado por atender as minhas lamúrias rsrs!!! Adorei esse conto, muito atual e acredite acontece meeeesmo, é dificil, mas esses desencontros, por milhõoooes de motivos atrasam bastante as vidas alheias... AMEI! Bjuuuuuuu!

angela disse...

Renato
Fico contente que tenha gostado.
beijos