quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Se o fusca falasse...


Eram duas amigas, Maria e Elisa, amigas de alguns anos. Maria pediu a ajuda de Eliza para uma “empreitada” que planejara. Elisa arrepiou, sabia que viria confusão pela frente, mas também sabia que acabaria ajudando como sempre.

Maria estava interessada em Jorge um rapaz de cabelos pretos encaracolados, pele bem clara e bochechas rosadas, era descendente de italianos e cuidava de um deposito de vinhos de sua família numa rua próxima a casa dela. Conversara com ele na padaria e queria um novo encontro e quem sabe um convite para sair no sábado e para tanto necessitava de uma nova chance.

Na quinta-feira à tarde Maria pediu o fusca vermelho da mãe emprestado e junto com Elisa foram dar andamento ao plano, que consistia em parar na rua do Jorge e fingir que o pneu estava furado. Assim fizeram, e para dar realismo esvaziaram o pneu traseiro, retiraram o estepe do porta-malas e soltaram os parafusos do pneu furado. Suaram e sujaram-se bem.

Jorge passava muitas vezes pela rua era uma questão de tempo e paciência (o que não se tem muito aos dezoito anos). Lá pelas tantas já meio cansadas e distraídas com suas conversas ele passou retornando de algum lugar e não as viu.

Cansadas trocaram o pneu, levaram o que estava vazio para o posto de gasolina e enquanto o enchiam viram o Jorge passar de carro. Resolveram retornar e lá foram elas. Repetiram tudo, esvaziaram o pneu traseiro e começaram a troca-lo. Desta vez deu certo. Jorge as viu quando retornava e parou para ajudar. Estava junto com Carlos um amigo, um rapaz loiro de olhos claros e cabelos bem lisos bem bonitinho. Trocaram o pneu e levaram para o posto, elas preferiram tomar Coca-Cola no bar evitando retornar ao posto com o pneu com receio de ouvirem alguma piada do frentista.

Todo esse esforço deu certo, Jorge e Carlos as convidou para saírem no sábado e Elisa viu que continuava na história da amiga e como não tinha nenhuma coisa marcada e era sua amiga resolveu ir. Chegado o dia foram a um barzinho e ficaram tomando cerveja e comendo petiscos e conversando e rindo muito. Acontece que Jorge começou a sorrir e olhar muito para Elisa e ela começou a ficar incomodada e tentava chamar a atenção de Carlos e foi ficando preocupada. O passeio estava virando um pesadelo.

Resolveu chamar a amiga para acompanha-la ao banheiro (meninas nunca vão sozinhas) e pediria para irem embora. Lá chegando Maria toda alegre e entre risadas perguntou se Elisa se importaria de trocar. Estava gostando mais do Sergio que do Jorge. Elisa respirou aliviada e aceitou a troca, afinal estava nessa pela amiga. Retornaram a mesa ainda rindo e eles ficaram curiosos com aquela risada toda e devem estar até hoje.

Saíram muitos outros sábados. Maria e Carlos não resultou em nada mais que uns encontros. Jorge e Elisa namoraram um bom tempo e foram muito apaixonados, mas um dia acabou por conta de outros amigos, porém isso é outra estória...



(foto Google- Rubem Dualibi)

40 comentários:

Chica disse...

Que legal esse conto.Esses rolos entre amigas acontecem,trsrs beijos, tudo de bom,chica

Renato Orlandi disse...

Hehe, olha só, quantas voltas para que as coisas deem certo, adorei o conto, assim como na vida! Bjaoo!

Daniel Savio disse...

É ruim quando um namoro termina por causa de amigos...

Mas todo amor é bom de se sentir.

Fique com Deus, menina Angela.
Um abraço.

Deia disse...

Eu adorei! Lembrou-me uma história de adolescente! Ninguém casou com ninguém, mas rendeu alguns suadouros e ótimas risadas! Excelente conto, Ângela!! Um beijo, Deia.

Rosana disse...

Linda Angela, obrigada pelo carinho de sua visita, pois é, a vida é um emaranhado de encontros e desencontros, num momento desses a gente acerta, beijos em seu coração.


Rosana!

manuel marques disse...

Ai o amor ...

Beijinho,

ju rigoni disse...

A maioria dos adolescentes é pródiga em criar situações para conseguir o que pretende. Ainda que dêem muito trabalho. rsrs Imagine esculhambar o pneu duas vezes e ainda se sujar de graxa!... rsrs Quanto ao troca-troca, em tempos de ficar, também não parece ser algo muito difícil para alguns deles.

Muito legal o conto.

Bjs, Angela, e inté!

Óleo disse...

O importante é que houve amor, e isso já bastou. Carinhosamente Óleo.

José Doutel Coroado disse...

os "trabalhos" em que nos metemos para chamar a atenção de alguém...
boa "estória"!
abs

Lau Milesi disse...

Gostei do conto, Angela. Já vi que os "ficantes" estão substituindo mesmo o amor verdadeiro, né amiga ?
Mas como dizem que marido e carro não se deve emprestar, por que não incluir o "ficante" ?? Adolescente torna tudo mais fácil...sabem viver.
Beijosss

RosanAzul disse...

Oi Angela!
Muito legal o teu conto!
Parabéns!
Um beijo e bom fim de semana,
RO

TRIBUNA-BRASIL.COM (O Indignado) disse...

Ângela, isto acontece mt vezes. Hoje, chamariamos de amizade colorida. Tô seguindo teu conselho e continuo na msm fila. Abraços.

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil! - disse...

VejaBlog
Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil!
http://www.vejablog.com.br

Parabéns pelo seu Blog!!!

Você está fazendo parte da maior e melhor
seleção de Blogs/Sites do País!!!
- Só Sites e Blogs Premiados -
Selecionado pela nossa equipe, você está agora entre
os melhores e mais prestigiados Blogs/Sites do Brasil!

O seu link encontra-se no item: Blog

http://www.vejablog.com.br/blog

- Os links encontram-se rigorosamente
em ordem alfabética -

Pegue nosso selo em:
http://www.vejablog.com.br/selo


Um forte abraço,
Dário Dutra

http://www.vejablog.com.br
....................................................................

Diz disse...

Que delícia- saudades deste tempo. Tb tive um Jorge- o primeiro namorado- e foi meio assim o encontro- numa praça, no meio de outras meninas- outras tb o queriam- ele me preferiu- durou alguns meses, foi o primeiro amor. Ficamos amigos p sempre- hj não o ve mais- ficou no Rio- perdi o contato.
Bjs
Respondi vc lá tb. Laura

angela disse...

Chica
E como acontecem e quando acabam bem tudo bem...rs
beijos

angela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
angela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
angela disse...

Renato
Muitas voltas mesmo e principalmente nos parafusos da roda do carro..rs
beijos

angela disse...

Daniel Savio
Todo amor vale a pena, também acho isso.
beijos

angela disse...

Deia
São as situações que valem a pena ser lembradas depois...rs
beijos

angela disse...

Rosana
Uma hora a gente acerta e não precisa mais do que uma.
beijos

angela disse...

Manuel
Ai o amor. O que a gente não faz?
beijos

angela disse...

Ju
O que não fazem...rs Ainda bem.
beijos

angela disse...

Óleo
O melhor é que aconteceu um amor, sem duvida.
beijos

angela disse...

José Doutel
Os trabalhos hercúleos rsrs
beijos

angela disse...

Lau
Elas resolveram facilmente o problema.
beijos

angela disse...

RosaAzul
Obrigada pela visita, estava com saudades.
Boa semana
beijos

angela disse...

O Indignado
Acontece mesmo.
Vou torcer para você se dar bem
beijos

angela disse...

Dario Dutra
Agradeço a Honra
beijos

angela disse...

Laura
É bom lembrar de coisas assim e ainda melhor quando elas perduram.
beijos

lis disse...

Esse é um filme que quase todas assistimos ,acontece muito Angela.
Gostei , voce esta ficando fera em cronicas e poemas.
Parabéns, não consigo pensar em nem uma linha rsrs
Abraços

Daniel Costa disse...

Angela

Bela história!... O falhanço acontece muito, no entanto deu-se uma aprendizagem, outras se terão seguido. A história parece ter seguimento, fico curioso!
Beijos

Vieira Calado disse...

Quase sempre há outra história.

E muitas ficam por contar!

Saudações poéticas

Maria José disse...

Angela. Adoro seus contos. Prendem a atenção. Nunca conseguimos advinhar o final. Adorei!!! Beijos, querida amiga.

Hod disse...

Olá querida Angela, uma bela história, e as possibilidades permeam outras mais. Show amiga,

Está tudo pronto amiga,

Beijos.

angela disse...

Lis
Obrigada pela gentileza e vou confessar uma coisa, não penso...rs escrevo e depois penso, se pensar antes não sai nada.
beijos

angela disse...

Daniel Costa
Toda história tem seguimento até que a gente se vá, um dia eu continuo.
Obrigada amigo pelo incentivo.
beijos

angela disse...

Vieira Calado
Sem duvida muitas ficam para contar.
obrigada pela visita
beijos

angela disse...

Maria José
Obrigada pelo comentário e que bom que a surpreendo.
beijos

angela disse...

Hod
Obrigada amigo, foi um prazer.
beijos