quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Uma conversa



Um poema de Edmar Oliveira publicado no mirada anterior


Bombaquim, bombaquim, deixa nós passar...

.

Tudo bem, envelheci

E esperava uma morte tranqüila

O que já era brincadeira na infância

..

Brinco de bombaquim[1] na velhice

“Carregado de crianças pra Jesus criar...”

Pêra ou maçã?

Não conhecia as frutas que nos levavam atrás das escolhas

...

Mas vejo as doenças que levam meus amigos “pra Jesus criar”

Sei que minha vez vai chegar (de escolher o céu ou inferno), como no bombaquim

Mas é que tô ficando sozinho

E é muito ruim

Não poder mais brincar...

*

(edmar)


[1] Uma brincadeira muito nordestina em que uma fila de meninos passam em baixo de um arco feito por dois meninos que perguntam ao último, a quem prendem, se ele quer uma fruta ou outra. Conforme a resposta, o interrogado passa a fazer parte do "cabo de guerra" da criança que foi escolhida (sem saber) para uma briga final. A melhor explicação pra “bombaquim” seria a tradução “bom barquinho”. Porque o passante na brincadeira ficava de um lado ou de outro dos dois que perguntavam os que cantavam “bombaquim, bombaquim, deixa nós passar, carregados de filinhos pra Jesus criar”: se pêra atrás de um, maçã, atrás do outro. Podia ser qualquer fruta. As mais difíceis, que não conhecíamos no nordeste era pra dificultar a escolha. Como se em cada margem do rio...





Inspirado no poema Bombaquim escrevi:




É tempo de olhar os campos
sentir a pele aquecer ao sol
ouvir os pássaros
refrescar-se no mar.

os lugares não reconheço
os caminhos já são outros
fala-se de outro jeito
muitos não me escutam
a musica que gosto não ouço
muitos amigos se foram
as brincadeiras são outras

meu mundo está sumindo
e junto com ele vou indo
resta-me o que é perene
a lembrança
o riso das crianças
e por sorte

as descobertas
que as vezes me apaixonam

Angela


(tela Lourdes de Castro-Google)

32 comentários:

Daniel Savio disse...

É um pouco complexo, pois neste caso, não escolhemos o céu, ou inferno, no final da nossa vida, mas sim durante todas as escolhas que fizemos na vida...

E boas poesias.

Fique com Deus, menina Angela.
Um abraço.

lis disse...

Brincadeira boa essa Angela
Bombaquim , pode ter vários significados .
Gostei muito do seu poema também , admiro muito quem tem inspiraçao pra falar sobre os pássaros , o mar e por tudo que nos apaixona como voce fez tão bem .
parabéns amiga.
deixo abraços

Deia disse...

Não conhecia essa brincadeira com esse nome, Ângela, mas, ao ler sua descrição, posso quase jurar que brincávamos de algo parecido no Rio de Janeiro. Brincadeira ensinada por minha mãe, que por sua vez era filha de pernambucano. Quem sabe não é daí a raiz daquilo que, para mim, era brincadeira comum de criança? Obrigada por acender esse candeeiro no meu sótão de lembranças - viajei no tempo agora! Um beijo, Deia.

Chica disse...

Que lindo,Angela e é sempre tempo de brincar,de ouvir e proporcionar ridsos às crianças e à nós mesmos.beijos,lindo fim de semana,chica

Hod disse...

Querida Angela,
SAbe que morei no Porto do Frances alguns 18 meses entre 76/77...Em Marechal Deodoro, a beira da lagoa, conheci o Bombaquim, mas só agora volto a ver essa maravilha.
Sua poesia encanta, não estás só nesse caminhar. Lindo.

Grato mil pelas doces fragrâncias.

Beijo pra ti.

Lara Amaral disse...

O primeiro poema me tocou, achei forte, apesar do poeta tratar o assunto com docilidade. Logo em seguida, gostei muito de ver sua "interpretação", pois muito do que eu tinha sentido estava no seu escrito. Adoro conversas poéticas! =)

Beijos.

Dalva Maria Ferreira disse...

Eu não sei por que, mas quando eu era pequena, morria de medo dessas brincadeiras. Tinha medo de cantigas de roda, (cabra-cega, lenço-atrás, queimada...) tinha muito medo de playground, aquele escorregador frio gelando a minha bunda! Mas não tinha medo das coisas da natureza, bichinhos, água, lama...

Renato Orlandi disse...

Nossa, muito inspirada, gostei bastante, pior que nossa própria finitude é pensar em como nosso mundo se esvai também, muitas vezes em vida... Adorei os sentidos, o sol e os pássaros, não tenho disso na cidade... bjao!

Daniel Costa disse...

Angela

É este folclore nordestino que nordestino que me encanta. É algo de diferente do normal, é de uma singularidade que me fascina.
Depois também gostei do teu poema inspirado nos versos de Edmar de Oliveira.
Beijos

Lau Milesi disse...

Parabéns aos dois poetas. Linda dobradinha! Interessantíssimo o poema do Edmar.
Tantas verdades ditas de uma forma tão poética... Gostei muito mesmo.
O segundo, mais uma bela obra sua,grito um bravooo!!!
"Apaixonar-se a cada descoberta é tudo de bom...", não é Angela?
Um beijo, amiga.

Hod disse...

Obrigado Angela pelo carinho de sua visita...

Beijos com muitas bençãos...

angela disse...

Daniel Savio
Obrigada.
beijos

angela disse...

Lis
Aqui a gente brincava de bom barqueiro e era igual.
Obrigada
beijos

angela disse...

Deia
A gente chamava de bom barqueiro e outros de deixa passar, com certeza você brincou de algo parecido.
beijos

angela disse...

Chica
Que bom que gostou.
boa semana
beijos

angela disse...

Hod
Veja que mundo pequeno, quem sabe brincou com Edmar.
obrigada
beijos

angela disse...

Lara
Sei que gosta dessas conversas, já li muitas dessas em seu blog e lembrei de você quando fazia esta.
Fui ler seu poema maldição e concordo com você o sentido é o mesmo do meu poema e você usou bem menos palavras.
beijos

angela disse...

Dalva
Cada um com suas coisas, com suas manias e seus medos.
beijos

angela disse...

Renato
A cidade nos priva de alguns prazeres bem simples, mas importantes.
beijos

angela disse...

Daniel Costa
Sei que se encanta com as coisas simples do povo, suas histórias e seus costumes.
obrigada amigo
beijos

angela disse...

Lau
Edmar é inspiradíssimo tem poemas lindos.
obrigada
beijos

angela disse...

Hod
É sempre um prazer
beijos

Diz disse...

Vc escreve sempre bonito, mm inspirada em outros.
Bjs Laura

RosanAzul disse...

Parabéns Angela, bela postagem!
Devemos sempre nos permitir "brincar"...
Uma semana cheia de paz e luz!
Rosana

Óleo disse...

Angela é sempre bom mergulharmos no nosso passado e lá colher coisas boas para ser contada. O seu poema completou o primeiro. Carinhosamente Óleo.

Beta disse...

Lindos poemas!
Lindas almas!!

bj

Maria José disse...

Angela. As brincadeiras infantis têm o brilho da inocência. O seu poema é lindíssimo. As descobertas sempre nos apaixonam. Beijos e tenha uma semana feliz.

angela disse...

Laura
Obrigada
Você é sempre gentil
beijos

angela disse...

RosaAzul
Quanto tempo!
Verdade, brincar sempre é bom
beijos

angela disse...

Óleo
Olhar o passado e usufruir o presente sempre.
beijos

angela disse...

Beta
Obrigada querida
Beijos

angela disse...

Maria José
Obrigada
Uma boa semana
beijos