domingo, 3 de outubro de 2010

O Retorno




















Sem que se perceba
retornam
lembranças
jeitos
gestos

o edifício construído
desfeito
tijolo
por
tijolo
revela seu alicerce

a infância volta devagarinho
anunciando
o inverno

46 comentários:

Maria Rita disse...

Que delícia encontrar lugares como este, por certo voltarei.

Muita Luz pra Ti!

Daniel Savio disse...

Seria uma regreção, ou uma reconstrução da pessoa...

Pois podemos entender melhor o presente quando analisamos o passado (ai seria uma reconstrução), ou ficarmos presos a ele (regressão).

Fique com Deus, menina Angela.
Um abraço.

Chica disse...

Bem inspirado,reflexivo e lindo,Angela!

Que teu domingo seja legal!beijos,chica

EDER RIBEIRO disse...

É amiga, e só percebemos isso coma o avançar das primaveras. Bjos.

manuel marques disse...

A infância vive a realidade da única forma honesta, que é tomando-a como uma fantasia ...

Beijos meus.

Mari disse...

Angela,

Lindo seu poema...
Me levou a pensar nas tantas descontruções pelas quais passamos ao longo da via.

Beijos

Lara Amaral disse...

Senti o poema como um dedilhado na pele. Que bom isso!

Beijo.

Daniel Costa disse...

Angela

Jóia de poema, fala de anúncio de Inverno, o que o parace desdizer.
Porém é poesia.
Beijos

quicas (joaquim do carmo) disse...

Vai ver que a essa "infância que volta", anunciando o Inverno, é promessa de renovadas primaveras.
Beijinho e bom domingo para si

ΛмeвΛ disse...

Lindo, adorei.

Bom domingo!
ΛмeвΛ

xunandinha disse...

lindo poema o teu Angela,nada melhor que a poesia para falar de tudo o que nos rodeia, mil beijinhos

Judite disse...

Boa tarde, Angela.

Por mais que sejam desfeitos os edifícios, os alicerces permanecem inabaláveis. Assim, sempre é temo de reconstruir, reerguer.


Nós, do blog Yehi Or, pedimos perdão pelo silêncio. Estivemos ausentes devido a problemas que nos tomaram muito tempo. Mas agora estamos de volta e ficaremos felizes com seu retorno ao nosso espaço.

Linda semana pra você.
Deus seja contigo.

Maria José disse...

Angela. A infância é sempre revelada de forma honesta, transparente, pura. Beijos, amiga e ótima semana.

Mimo Chic disse...

Querida Angela, que prazer conhecer seu blog, aqui seguiremos!
Belas palavras
...Sem que se perceba
retornam
lembranças
jeitos
gestos...
Esperamos poder retornar esse carinho em nosso blog!
Bjs
Lulu & Sol

José Doutel Coroado disse...

Cara Angela,
gostei!
abs

MOMENTOBRASILCOM.blogspot.com disse...

Ângela: E que retorne fortalecida pela primavera que renova as flores, num indicativo de renascimento da vida. Que possa 'RECONSTRUIR' td o que desabou, de maneira ainda mais forte. Abçs. Roy Lacerda.

Vieira Calado disse...

Sim, amiga!

Devagarinho se chega ao inverno...

Beijoca

Karina disse...

A infância sempre está na base de tudo. O restante se constrói por cima dela. O segredo é não soterrá-la demais, a ponto de esquecê-la lá embaixo.

Saudades de passar aqui.

Beijos!

Majoli disse...

Oi Angela, que lindo "O Retorno" e também a imagem escolhida, casou perfeitamente com suas palavras.
Uma poesia que nos leva de volta ao passado de forma gostosa.
Tenha uma semana de muita paz.
Beijos no teu ♥

lis disse...

Oi Angela
como os pássaros que vão e voltam ao seu ninho nossas lembranças retornam com a beleza das estações!
... são gestos e jeitos impregnados de saudade.
fico melancólica ... rsrs
abraços amiga

ElmaCarneiro disse...

Lindos versos Angela
É tão bom voltar nossos pensamentos para a pureza da infância.
Uma ótima semana para você.
Beijoo

Elizeu Soares disse...

Voltar ao começo é algo muito interessante,pois podemos ver aquilo que passamo e dar graças a Deus pelo que aprendemos da vida!
Fica na paz.

Renato Orlandi disse...

Me esforço para perceber, assim deixo algumas coisas voltarem e outras não.... :D bjinhuuu!

tonhOliveira disse...



ЯANROTEЯ ← para ARRUMAR!

Mariana disse...

Vir t visitar é a certeza d ler belos poemas.

Mariana disse...

Vir t visitar é a certeza d ler belos poemas.

Anne Lieri disse...

Angela,que bela sua poesia relembrando o passado de criança!Para me atualizar tem que mudar o link no layout_http://anne_ lieri.blogspot.com
Tem um tracinho depois de anne.Obrigada por me seguir de novo,Angela!Bjs,

Deia disse...

Oi Angela! A cada tijolo, despimo-nos das certezas adquiridas e cercamo-nos dos afagos necessários! Um beijo, Deia
PS: Cheguei ontem de viagem e resolvi fazer um selinho inspirada pelo passeio. Quando puder, passa lá!

orvalho do ceu disse...

Olá, querida Ângela
Passo pra agradecer (retornando lembranças) o seu comparecimento carinhoso em meu coquetel.
Obrigada de coração,amiga.
Seja feliz e abençoada!!!
Abraços fraternos e o meu carinho de sempre.

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Angela...bom relembrar, codificar as memórias do coração...
Tá bonito aqui o seu espaço, andei meio sumido, mas to de volta e assim como voc~e, aos poucos vou respondendo e visitando os amigos para poder compartilhar nossas impressões...boa semana
Um abraço na alma
Beijo

Lau Milesi disse...

Lindo, lindo e lindo. Conteúdos infantis e o amor afloram de uma maneira no "Inverno"... Não saberia explicar o "porquê", só sinto...
Beijos e muitos bravooo!! Adorei, Angela.

A. Reiffer disse...

Belíssimo poema! Meus sinceros parabéns!

João Videira Santos disse...

Quando as palavras convidam à reflexão hjá que parar e pensar...

É o caso.

Tertúlias... disse...

Minha ida ao Rio foi assim... repleta de lembrancas... do que foi e já nao mais é... como voce descreve:
o edifício construído
desfeito
tijolo
por
tijolo
revela seu alicerce

a infância volta devagarinho
anunciando
o inverno

parece extamente o que passei agora lá... miha infancia batendo na miha porta, anunciando este longo inverno que está comecando aqui. Vou guardar.

Obrigado, querida!

quicas (joaquim do carmo) disse...

Enquanto não chega o inverno, vamos desfrutando das delícias da infância voltando!
Beijinho

Sandra Botelho disse...

Lindo demais querida.
Bjos achocolatados

Aqui - Ali - Acolá disse...

Sem que se perceba
retornam
lembranças
jeitos
gestos
------------------------------

Sim, sem que se perceba, tudo isto retorna em nossas vidas apesar do tempo passar por nós.

Devagar se vai ao longe (um ditado muito antigo), e sendo assim, o retorno também acontece tanto nas mentes como na realidade.

Belo poema com um alicerce bem forte.

Bjos, novo dia com alegria.

lis disse...

Passando pra deixar um abraço.
fique bem , boa quinta feira

Sonia Pallone disse...

Quando a poesia encontra abrigo, é sinal de que as águas passaram sob a ponte e tomaram seu rumo... A sua fica aqui, em meu coração... Bjs.

C Jorge F disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
C Jorge F disse...

A infância é o lugar dos pássaros coloridos que voam à volta do sol - um dia, muito mais tarde, hão-de vir poisar na nossa mão...

ju rigoni disse...

Lindas, Angela, as metáforas para esse reencontro com a infância na última estação.

Bjs e inté!

Ivana disse...

Angela,

A infância e suas lembranças que nos acompanham por toda vida, lindo seu poema. Obrigada por visitar meu blog e pelas palavras carinhosas que lá deixou. Um lindo dia para você, um abraço!

Ivana disse...

Angela,

A infância e suas lembranças que nos acompanham por toda vida, lindo seu poema. Obrigada por visitar meu blog e pelas palavras carinhosas que lá deixou. Um lindo dia para você, um abraço!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Angela
que jeito manso e resdimido de admitir que, por mais que desmontemos o passado, lá estão os alicerces visíveis, em cada ato, em cada dia....
Ficou bonito!

Lucimar Sant`Ana disse...

Querida, tenho saudade dos meus amigos virtuais e vc é uma especial.
Estive passando por um problema muito sério em minha vida, então resolvi viver minha angustia me insolando de tudo e de todos.
Agora me sinto melhor.Renascendo!!!!
Adorei o que vc escreveu, porém ainda estou fria nos meus sentimentos.
Um grande beijos.

Lucimar