segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Pra Começar a Conversa

Francis Bancon- Full

Conversar nem sempre é coisa fácil.

Já custou muitas vidas e ainda custa.

Crime de opinião é coisa antiga, infelizmente e a intolerância ainda assombra nossas vidas, desde um passado não muito longínquo.

Quando a conversa é para valer é sempre difícil, expor idéias, abrir o coração, ser sincero.

Começa pelo receio das conseqüências do que vai se dizer, de não ser ouvido, de não ser compreendido, do outro não se interessar, de mudar de assunto ou falar que aquilo é uma bobagem, quando para você é coisa seria.

Já viram como é comum desconsiderar a palavra de uma criança, de um idoso, de um subalterno? Como muitos não se dão ao trabalho nem de prestar atenção no que elas dizem? São pessoas que vão ficando invisíveis. O mundo está cheio de seres invisíveis e não são fantasmas nem anjos nem extra terrestres são humanos mesmo.

Acontece em alguns momentos deles serem ouvidos e aí acontecem coisas perturbadoras surgem os “caseiros” as “secretárias” as “amantes” os “motoristas”, mas para cada um desses existem inúmeros mudos. Entre os invisíveis estão os doentes mentais, portadores de visões desconcertantes da realidade, costumam carregar alguns “pecados” imperdoáveis na nossa cultura: baixa produtividade, poucos limites, conduta social as vezes ”inadequada” e perturbadora. A solução encontrada por muito tempo foi o confinamento para tratamento o que demonstrou-se ineficaz. Não curou só afastou o incomodo do meio social e isto é reconhecido pelo OMS, não sou eu que o digo. O profissional que cuida desses pacientes fica de certa forma identificado com ele e é visto como uma mistura de sábio e louco.

A pergunta que fica é por que se dar o trabalho de conversar?

E não tenham duvidas que é um trabalho e tanto, as vezes nem sabemos por onde começar a conversa.

Só posso dizer que é por aí que a vida enriquece, que apresenta ângulos novos, visões diferentes, que saem da mesmice, que sacudir a poeira pode valer a pena.

A proposta da revista Lowcultura é esta. Ela foi escrita por profissionais, artistas, filósofos e doentes mentais sem identificação e não precisa falar sobre loucura é só conversar sobre a vida. Ela estará aberta a contribuições e a leitura online logo mais e já pode ser seguida.

Nós só queremos conversar.

15 comentários:

Lídia Borges disse...

Uma visão muito interessante.
Todos têm, sempre, algo de si para dar e é muito importante que haja quem queira receber.

L.B.

MARCOS DHOTTA disse...

... É conversando que a gente se entende. Já diziam os nossos.

Um abraço caríssima.

Lau Milesi disse...

Muito legal, a conversa é o melhor canal de comunicação.Taí uma coisa que não me assusta no Brasil é a censura à liberdade de expressão. Logo, vamos lá às conversas. Parabéns à equipe. Sucesso!!Serei leitora assídua, sem dúvida.

Beijossss

José Doutel Coroado disse...

Cara Angela,
comunicação é fundamental!
abs

Chica disse...

Linda proposta e conversar é trocar idéias, escutar.Importante...beijos,chica

Ivana disse...

Olá Angela,

Diálogo é tudo, quando não há sintonia na comunicação se forma um "abismo" nas relações. Exceletente seu texto, quero ver a revista, parabéns pela iniciativa. Um feriado feliz junto da família e amigos.Bjs

Daniel Costa disse...

Angela

Para mim foi interessante ler o escrito que postaste. Tenho a dizer-te que se dá o seguinte: é dificil que se conjuguem interesses do foro pessoal, mesmo entre famílias. Depois se alguém sobressai, tudo se conjuga para o fazer alinhar na mediocridade, para não serem ultrapassados.
Tem de se ter mesmo em conta que se aprende ouvindo sempre, quer sejam crianças ou idosos. Aprende-se mais a ouvir do que falando.
Hoje, como ontem há censura, a sofisticação é que é outra!
Beijos

Essência e Palavras disse...

Nada melhor que um diálogo.

Muito bom!

beejo!

Sônia Silvino disse...

Um dialogo pode resolver tantas coisas!
Bem pensado!!!
Beijinhos, amada!

xunandinha disse...

Linda, gostei do teu texto e de ver que estás mais entusias~´ada, pelo menos com a revista, gostava de a poder ver e ler, mas não sei se cá é possivel, comunicar e escrever o que nos vai na alma é das melhores coisas que podemos fazer, não é à toa o nome que dei ao meu espaço, beijinhos

Graça Pereira disse...

Minha Querida
Tens razão...Ás vezes é dificil conversar...mas eu não passaria sem uma boa conversa de amigos.
Alimenta a alma...ás vezes, tambem alimenta a zanga! É preciso ser e estar disponível para ouvir e falar e...sem dúvida, perdoar!
beijo e um doce Novembro.
Graça

Sandra Botelho disse...

Crime de opinião é coisa antiga, infelizmente e a intolerância ainda assombra nossas vidas, desde um passado não muito longínquo.

Uma verdade ~tao absolutamente indiscutivel...
Bjos achocolatados

Tais Luso disse...

Angela: conversar é um canal pra gente civilizada e sã de cabeça, sentar e expor idéias, relatos, trocar opiniões. Porém nem sempre é possível mantermos diálogos, sentar e conversar. Existem pessoas que não nasceram para ouvir, mas sim para ditar, cutucar, não apoiar, maldizer. São pessoas que nasceram para viverem isoladas e quanto mais longe delas, mais saúde teremos. Nem sempre o diálogo é a melhor saída, acredito nisso quando é feito entre pessoas com cabeças boas. Muitas vezes o silêncio é a melhor saída. Existem situações e situações. Claro que o diálogo é o que todos pretendem, mas... Nem sempre é possível.
Este texto é ótimo, dá pano pra manga. Diria que cada pessoa tem o diálogo que merece.

Beijos / Tais luso

lis disse...

OI Angela
Proposta séria, interessante e necessária.
Informa depois o endereço online, ok?
Nos tempos atuais mal as pessoas não se dão ao prazer de ouvir e conversar
Uma pena.
abraços

Daniel Savio disse...

Se até uma planta conse se beneficiar com uma conversa, imagina nós que somos seres sociais...

Fique com Deus, menina Angela.
Um abraço.