sexta-feira, 25 de junho de 2010

"O importante é que emoções eu vivi"


Ele de olhos arregalados sem entender nada a viu bater a porta com raiva e sair pisando duro pela calçada. Ela andava ligeiro, margeava os muros evitando o sol quente da tarde, apesar de que, fervia tanto por dentro que o calor do sol não poderia incomoda-la. Andou o mais rápido que seus mais de oitenta anos permitiam e foi vencendo as quatro quadras que a separavam da casa da cunhada em poucos minutos. Entrou pelo quintal e dirigiu-se para a porta da cozinha (sabia que estava sempre destrancada a despeito de todas as recomendações) encontrou-a tricotando na sala e já foi falando:

¬ Vou me separar de seu irmão. Não suporto mais.

A cunhada, uma senhora de oitenta e dois anos, olhou-a sem entender nada

¬ O que?

¬ O que você ouviu. Vou me separar de seu irmão.

¬ Mas agora depois de tantos anos juntos? Depois de criarem os filhos, de terem passado tanta coisa juntos?

¬ É.

Um silêncio em que a cunhada não sabia se ria ou se levava a serio, se ela estava entendendo direito ou se a outra estava caducando. Resolveu tentar conversar.

¬ Lembra quando ele se encantou por aquela vizinha loira e vocês viveram a maior crise? E daquele tempo que mal se falavam e parecia que não se amavam mais? Aguentaram firme e até se apaixonaram de novo.

A mulher de olhos baixos só assentia com a cabeça e balançava as pernas em visível impaciência com aquela conversa.

A cunhada percebeu e resolveu perguntar direto.

¬ Mas me diga o que aconteceu para que depois de tanto tempo juntos, vocês já no fim da vida vão querer se separar?

A mulher respondeu muito irritada


¬ Oras, nem brigar mais ele quer!!!




(foto retirada do Google)


quarta-feira, 16 de junho de 2010

Bloggincana de Junho


Faça um post com o Tema preferido do seu Blog. Se é poesia, pintura, literaratura, fotografia... dê o seu melhor. Faça aquele post especial que sempre quis fazer. Um post para a Bloggincana.




Escrevo dormindo
palavras

de sonhos acordo
assustada
na angustia

releio, procuro
outras
palavras que me decifrem.




quinta-feira, 10 de junho de 2010

O Pássaro que Dança


Um deus antigo, um anjo
Levita
Volteia
Rodopia
Hipnotiza
Em sua perfeição
Eleva
Enleva
Encanta
A sua dança leva
Uma estrela
Que pousa no coração.


Postagem conjunta com Ricardo do blog http://tertulhas.blogspot.com/

Quando Baryshnikov recebeu a medalha de ouro do Kirov na Competição Internacional de Ballet em Moscou em 1969, Maya Plissetskaya, que estava no juri deu-lhe 13 pontos dos possíveis 12...








domingo, 6 de junho de 2010

Transitório





A onda quebra na areia
se esvai delicada...

espuma

O amor segue o destino
de uma onda do mar.