sábado, 25 de setembro de 2010

Coletiva Espaço Aberto



Eu procurei uma musica de amor para essa coletica, procurei de Lanterna na mão e achei muitas.
Maravilhosa musicas de amor, louco, desesperado, sofrido, obsessivo, esperançoso, alegre, etc:
Pela luz dos olhos Teus
Este seu olhar
Eu só quero um Xodó
Mania de você
Caso sério
Bem me Quer
A noite do meu bem
De noite na cama
Beija eu
Jude

I Can`t Stop Loving You

Carinhoso
Eu sei que vou te amar
Bem que se quis
Não faz mal amor
Meu Bem, Meu Mal
Meu coração Vagabundo
Chega de Saudades
Andam dizendo
Bandeira Branca
Longe do meu Lado
Insensatez
Ronda
As Rosas não Falam
Pobre Coração
Medo de Amar

E muitas mais e pensando que alguém sempre fica só (a menos que morram junto) acabei por escolher entre tantas musicas lindas aquela que falasse das marcas do amor. Afinal como cantou tão precisamente Caymmi "Dor de amor quando não passa é porque o amor valeu".

Escolhi essa para dedicar.


quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Apanhador de sonhos



A corda
enrosca
em nós
envolve
em volta
uma rede
enreda
retesa
tece
uma teia
enrosca
enrola
enlaça
a fita
laça
entrelaça
aperta
estreita
abraça

o desatar
dos nós
solta a corda
desfaz o laço
desenreda a rede
a teia do sonho
não filtra seu abraço.

sábado, 18 de setembro de 2010

BLOGGINCANA TAREFA de SETEMBRO de 2010


O que pensa da blogagens colectivas? Se esgotaram? Tiveram sua moda, e razão de ser? Faça desta sua participação, a despedida da BlogGincana.


A primeira blogagem coletiva que participei foi a "Vou de Coletivo" e gostei muito. Conheci vários blogues e o melhor foi ver como cada um abordava diferentemente o mesmo tema. Isto é para mim o mais interessante de uma coletiva, me encanta a diversidade e a criatividade das pessoas.

Tenho Twiter e Facebook, mas vivo levando cutucadas, pois não entro nunca, assim como não me acertei com o orkut. São meios de interação muito rápidos de muita exposição pessoal e ao mesmo tempo superficiais. Não acredito que substituam os blogues da mesma forma que a fotografia não substituiu o cinema, nem a pintura, são formas diferentes de comunicação e de expressão e cada um tem suas preferências.

O blogue foi um achado mesmo eu não tendo nenhum talento especial, mas gosto de ler e palpitar a respeito.

As visitas aos outros são um problema para uma moça educada como eu e isso não se dá só nas coletivas. São muitos blogues que tenho que visitar, que acompanho, que gosto e isso toma tempo de outras coisas que também gosto de fazer. Isso não sei como resolver.

Tive uma experiência de parceria com o Hod que foi muito interessante, aprendi a fazer duplix, trocamos e-mails e ficamos mais amigos, ele fez isso com outras pessoas e essas pessoas estavam fazendo com outras e uma nova onda estava se movendo na blogosfera que agora deu uma amainada, a energia dele tem feito falta.

O João faz aqueles concursos de títulos para suas fotos que rendem idéias muito boas.
A Lara trava diálogos poéticos lindos com outros poetas

Penso que tem muita coisa ainda a ser explorada por aqui. Estou aguardando a criatividade dos amigos Jorge e Eduardo.

( como podem ver nem contra nem a favor tucana até morrer...rsrs, não consigo perder a piada)

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Cada um dorme como quer


Lucas era um homem grande, forte, de meia idade, funcionário do cartório de uma pequena cidade que experimentava um período de crescimento econômico. Fato este que atraia muita gente de todo lugar e o que era pior de toda espécie. Os golpes e calotes eram constantes, os preços subiam demais, tudo estava ficando caro demais, até os respeitáveis senhores, velhos conhecidos seus, pareciam ter perdido o bom senso e a cidade parecia contaminada por uma febre de ganância nunca sonhada.

Cada dia mais desgostoso e aborrecido começou a fazer suas compras em outras cidades, medico, dentista, tudo começou a ser utilizado fora da cidade, para ele e para sua familia. Comparava os preços e fazia questão de falar das diferenças em voz alta, deixando descontentes muitas pessoas, mas não se importava. O que não queria mesmo era ser enganado. Surrupiado como costumava dizer.

Numa bela manhã um caminhão parou na porta de sua casa e dois homens desceram procurando por ele. O filho mais novo correu até o cartório a procura do pai e assim que o encontrou comunicou-lhe o fato. Lucas saiu rápido e chegando em sua casa viu vários vizinhos andando nas imediações curiosos em saber o que trazia aquele caminhão roxo de Piracicaba, cidade que ficava tão longe dali. Alguns andavam como se nada quisessem, outras varriam a frente da casa, outros conversavam, mas todos atentos ao caminhão.

Lucas percebeu tudo, mas não se importou e foi logo cumprimentando os dois homens que em seguida abriram a porta de traz do caminhão roxo e de lá retiraram um caixão. Um caixão grande de madeira boa, todo envernizado com alças brilhantes de bronze e entraram na casa carregando o fúnebre objeto. Lá dentro travou-se uma discussão entre Lucas e sua esposa sobre onde iriam guardar o caixão, discussão essa que foi ouvida todinha pela vizinha da direita, depois de algumas ponderações de ambas as partes ficou resolvido que o caixão ficaria em cima do guarda roupa do quarto do casal. E por lá ele permaneceu por mais de 20 anos garantindo o sono tranqüilo do Lucas, que sonhava não ser enganado nem depois de morto.

domingo, 12 de setembro de 2010

Uma bicadinha de agradecimento


Nesses dias de recolhimento recebi muitas mensagens de afeto e sou grata a todos os que por aqui passaram e deixaram suas palavras, quase fiquei mal acostumada...rs
A vida é algo muito estranho e já desisti de tentar entender, acontecem coisas que não podemos explicar, mas que dão algum sentido ao que está acontecendo.
Transcrevo abaixo o comentário deixado por Xunandinha em minha postagem "Meus Amigos"

"Voltei para te contar o que aconteceu no prédio onde habito, numa varanda num dos andares devolutos.Com o clima a mudar duas gaivotas foram parar na varanda do 3 andar direito, como era Agosto praticamente estava tudo de férias, no andar do lado mora uma senhora invisual que começou a ouvir barulho mas pensou que fosse dos pombos, pois há bastantes por aqui.

Como cada dia o barulho era maior ela pediu para se ver o que se passava.
Ao abrir a janela uma gaivota estava caída já morta,a outra depois de se conseguir por em posição para ver se voava com o bico apertou ligeiramente o braço de quem a segurava e partiu como agradecendo a ajuda, por isso cura tu também a tua dor mas amiga não te esqueças que tens que começar a voar.Um forte abraço do fundo do coração,beijinhos"


Ainda um pouco triste, mas vamos voar.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

CASO CAIAS

Dia 10 de setembro é o dia mundial de prevenção do suicido.
O dia 11 de setembro é dia de triste lembrança.

Diálogos Poéticos


T E R
A M O R
T E C E
D O R E S

Publicado por Missosso do blog mirada anterior


___________________________________________________________________________________________________


O que é que deu nesse povo!
A cada andar, um desandar.
A cada morte, um desviver.
Eu caio,
Tu cais,
Ele cai.
O último a cair, que atire a primeira pedra. Ou não.
Porque isso de caminhar na contramão já virou mania: um flagelo!


Comentário de Dalva do blog POESIAS SOLTAS


----------------------------------------------------------------------------------------------------


Poderia estar deitado na grama
tão elegante e descontraido

Na realidade vive seu ultimo drama

Poderia ser um passo de dança
tão harmonico e comedido

Mas é um ato desiludido

Que na correta direção
Denuncia o ocorrido

Sem ter amortecedores.
Sem ter amor tece dores


Comentário meu.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Sombra

Lourdes de Castro

Espreito por entre as frestas
no brilho das estrelas
seu vôo tranqüilo
a lua gera sua sombra
corpo imaterial
sem textura
sem cor

ausência

que se desfaz
nas fagulhas luminosas
do carinho .



Domingo estou de volta e visitarei todos.


sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Aos meus amigos

Nestes dias pude verificar a quantidade de pessoas que ficaram tristes com a transcendência do amigo Hod, alguns amigos muito proxímos outros mais distantes, mas todos muito amorosos.
Agradeço os comentários e a solidariedade que demonstraram. As brincadeira que o Hod vinha fazendo convidando os amigos a fazerem duplix com ele rendeu muitas parcerias que foram se multiplicando pela blogosfera, Uma semente que germinou não em uma plantinha, mas em canteiro florido de palavras. Desejo que essas parcerias continuem a produzir lindas flores como as que Deia e Daniel fizeram ontem. Acredito que triunfamos sobre a morte quando não deixamos que ela mate o espírito, a semente do homem que ela levou.
Tenho um trabalho para fazer e estou com dificuldade, fico dispersa cada vez que entro aqui. Não estou conseguindo responder aos comentários nem visitar os amigos direito, muito menos fazer meu trabalho. Vou ficar uns dias ausente e peço que me compreendam e perdoem.
Estou me sentindo como uma gaivota que estava voando alegre com um amigo e que de repente se viu no chão enquanto ele continuou seu voo para o infinito. Preciso fazer meu trabalho e consertar minhas asas. Verei vocês dentro de alguns dias.


quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Um Adeus

No final da noite de ontem eu e Hod publicamos um duplix e foi uma experiência muito boa, ele me ajudou com a regras, com sua paciência e amorosidade e conseguimos compor o poema. Deixou um comentário em meu blog que reflete bem seu jeito de ser, sensível e esperançoso,

"Vejo o tempo fazendo rede e moinhos em nossa volta, e desde ano passado que interagimos. Mas hoje, hoje nossa mentes aconteceram num convergir mútuo. Poder compartilhar contigo querida Angela, foi um honra.
Parabéns amiga ! Que venham outros mais.

Beijos pra vc com muitas bençãos."

Amigo você virou a curva da estrada (como diria Pessoa), enluarou-se (como diria Quintana e Lau ) encontrou a indesejada (como diria Drummond) a Severina (de João Cabral). E eu aqui estou tão triste com meus vãos anseios espiando as frestas, procurando palavras para lhe dizer adeus e só consigo copiar dois versos do Drummond:

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor