quarta-feira, 9 de março de 2011

Equilibrista


Você tirou
Minha casca
Minhas garras

Difícil seguir
indefesa
com este coração
no peito
pulsando passo
e descompasso
num ritmo
que me põe a
tremer

Trôpega
danço desajeitada

Balanço

Estou nas estrelas
e no chão



36 comentários:

Sandra Botelho disse...

Amiga posso levar pro Gotinhas...Esse poema parece ter sido escrito pra mim...Beijos achocolatados P.S. Espero resposta

chica disse...

Lindo,Angela e mesmo tropega, o importante é continuar na dança...beijos,chica

A. Reiffer disse...

Gostei do ritmo e da criatividade! Abraços!

Leonardo B. disse...

[perfeita dança, equilíbrio linha a linha]

um imenso abraço, Amiga Angela

Leonardo B.

Pepi disse...

Muito bonito este poema, Angela
Um lindo e abençoado dia para você
Beijinhos de
Verena e Bichinhos

Daniel Costa disse...

Angela

A poema, própria ilustração é a imagem completa do equelibrimo de que a vida carece.

O meu poema escrito há três anos, ganhou maior oportunidade em Portugal,
Beijos

As Tertúlias... disse...

Lindo, lindo... estava inspiradíssima mesmo ontem! Gostei!!!!!

Valquiria Calado disse...

Nas estrelas e no chão, duas distintas dimensões, só o amor nos leva e nos deixa... só o amor.


Abraço de carinho.

M. Sueli Gallacci disse...

Querida amiga!

Gratíssima mais uma vez pela sua atitude e preocupação! Todo esse gesto muito me comove e tem sido de grande ajuda.

Eu já sei que fomos negligenciados, descumpriram a lei do pronto atendimento que não pode ser negado, e só o fizeram depois do meu choro de desespero e indignação!

Um dos funcionários me disse que “todos chegam lá gritando e exigindo pronto atendimento e eles não têm condições de saber quem está realmente falando a verdade e passando mal”
Te digo que FIQUEI CHOCADA COM TAL DECLARAÇÃO!!!

Afirmo sem medo de erra que o MAIOR HOSPITAL DE SÃO PAULO ESTÁ FALIDO!!!
Ficamos num impasse que duraram horas e isso poderia ter acarretado conseqüências irreversíveis pra ela, mas acho que não se importam muito com isso. Agora, botaram a culpa nos funcionários que estavam “desenformados” quanto à lei.

Nada ou pouco podemos fazer agora que já é passado. Sabemos que podemos processar o convenio, o hospital, a médica que cometeu o erro... Mas não sabemos se vale à pena, é tudo tão desgastante.

Graças à vc e a tantos outros amigos, estamos agora mais equipados para uma próxima eventualidade, se houver, e saberemos fazer valer os nossos direitos.

Um beijo enorme e mais uma vez obrigada, principalmente pela suas palavras. Que Deus te ilumine sempre!
Sueli Gallacci

Anne Lieri disse...

Angela,equilibrista na vida mas na poesia não titubeia!...rsss...Ficou original e muito bonita!Bjs,

ju rigoni disse...

"Você tirou
Minha casca
Minhas garras"

Mas não a poesia que mora aí dentro.

Bjs, amiga. Inté!

ONG ALERTA disse...

Muito lindo...beijo Lisette.

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Angela...como é bom voar, mas temos também que esatr com os pés no chão...dificil essa convivência né...rs
Belo poema...
Um abraço na alma
Beijo

Lis disse...

Oi Angela
Recuso-me a aceitar esse descompasso.rs
Posso até dançar desajeitada mas sem entregas!
Lindo versejar o seu , intenso mas com sabor doce.
abraço

Samaryna disse...

Angela, o encadeamento da poesia mostra a perda do equilíbrio, para finalizar com o próprio equilíbrio, pois estar nas estrelas e no chão é situar-se os sentimentos. Deixo o meu afeto.

José Doutel Coroado disse...

Cara Angela,
"dancei" com sua poesia!
abs

AFRICA EM POESIA disse...

ANGELA
Poema LINDO.
Obrigada pela beleza...

Neste momento quero expressar aqui a minha solidariedade a todas as Famílias atingidas pelo tsunami de ontém.

Gilmar disse...

Equilíbrios exigem sempre os desequilíbrios, assim o refazimento se dá mais inteiro. Importa náo permanecer inerte ou na passiva aceitaçao do descompasso. E penso que esse é o convite da sua poesia, Angela: reencontrar-se, sempre!

Meu carinho!

Sonia Pallone disse...

Delícia de poema, Angela! São versos como esses que dão tempero aos corações...Perfeito esse cenário. Perfeita você. Bjs.

Lau Milesi disse...

Isto é que é equilíbrio ...no ceú (com as estrelas) e com os pés no chão. Melhor do que isso não existe.:)
A esperança equilibrista
é que sua inspiração
tem que continuar
a nos brindar
com poemas tão
lindos como esse. Plagiei João Bosco e Aldir Blanc agora. :)


Beijocas e meus parabéns!

Daniel Savio disse...

Mas estar apaixonado não é estar em dois lugares ao mesmo instante?

Para mim é, mesmo que seja no inferno da saudade, ao céu do coração pulsante.

Te respondendo algo antigo:
O parabéns era pelo carro novo, mas fiquei intrigado com você saber que sou taurino...

Hua, kkk, ha, ha, é sério.

Mas se cuida amiga.

Fique com Deus, menina Angela.
Um abraço.

Maria José disse...

Olá. Estou de volta aos blogs depois de um período de descanso. A ausência de defesas nos deixa descompassadas. Beijos e uma semana de flores.

Tais Luso disse...

Mesmo aos frangalhos, com o coração chorando somos capazes de dar a volta e voltar à vida.
Essa é a nossa força, a força dos que vencem.

Beijos, querida Angela.
Tais Luso

Sandra Botelho disse...

Oi querida, faz tempo que postei teu poema no Gotinhas...
Passe por lá, apenas substitui a imagem porque não consegui levar a tua.
beijokas

Fanzine Episódio Cultural disse...

COMO PARTICIPAR NAS EDIÇÕES DO EPISÓDIO CULTURAL?
O Fanzine Episódio Cultural é uma publicação bimestral sem fins lucrativos, distribuído na região sul de Minas Gerais, São Paulo (capital), Belo Horizonte e Salvador-BA. Para participar basta mandar um artigo: poema, um conto, matérias (esporte, arte, sociedade, curiosidades, artesanato, artes plásticas, turismo, biografias, sinopses de livros e filmes, curiosidades, folclore, moda, saúde, esporte, artes cênicas, biografias, etc.) em Times Roman 12.

Mande em anexo uma foto pessoal para que seja publicada juntamente com a matéria. Se desejar, você pode enviar uma imagem correspondente ao assunto abordado. Caso o artigo não seja de sua autoria, favor informar a fonte.

PARA ENTRAR COM CARLOS (Editor)
Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=1464676950&ref=profile
machadocultural@gmail.com
http://www.fanzineepisodiocultural.blogspot.com

Irene Moreira disse...

Angela

Linda poesia.

Levm ao desequilíbrio, mas temos forças para voltar ao chão e poder chegar nas estrelas.

Saudades!
Beijos no seu coração

Perola disse...

Vim te desejar um exelente fds amada.
Beijokas milllllllllllllll

Mari Amorim disse...

Sua postagem dispensa comentários,parabéns!
Obrigada pelo carinho,boas energias,paz,saúde,muito amor.
um abraço carinhoso,
Mari

Perola disse...

Vim te desejar um exelente fds minha amada.
Beijo grande.

wallper.lima disse...

Achei simplesmente lindo Angela! Lutar pra não morrer, chão e céu, isso tudo é vida!!!
Um bejo.
Waleria Lima.

chica disse...

Onde andas? Vim te ver!!!beijs,lindo fds,chica

JGCosta disse...

Gostei!

Tem um quê de um desatino, mas com uma lógica incrível!

Assim somos, equilibristas, é o que todos necessitamos para seguir em frente!

Parabéns pela inspiração minha amiga!

Abraços renovados!

Graça Pereira disse...

É, a vida é assim: um olhar nas estrelas e um pé bem no chão!
Adorei o ritmo deste poema!
Beijo e boa semana.
Graça

Perola disse...

Oi minha flor.
Vim te deixar um beijinho e dizer que estou com saudades.
Beijokas milllll

Mariana disse...

Angela poema belo e para reflexão.
como tu estás? é q fazia dias q não vinha aqui, e vi q faz dias q não passa pelo teu blog.
espero q estejas bem.

xunandinha disse...

Você é demais, eu sei de uma romantica mas não tropega,beijinhos e é sempre agradavél ler o que escreves, sabes que vamos ficar mais pobres? acho que o espaço aberto vai fechar,mas não entendo porquê, não sei se aconteceu algo de mau com as cheias do Brasil, você sabe? beijos abrações, minha amiga gaivota