domingo, 25 de setembro de 2011

Elegia a um amigo



Palavras
só restam as palavras
nesse vazio
horrendo

Palavras
so restam as palavras
nessa solidão
imensa

Palavras
só restam as palavras
nessa dor
tamanha

Palavras
só restam as palavras
e me faltam palavras.


domingo, 18 de setembro de 2011

Ainda Que...



 Ainda que a pequena flor
tenha fenecido e
seu perfume esvaído

Ainda que nossos olhos
tenham perdido o brilho
e o sorriso entristecido

Ainda que em nosso coração
a tristeza e o mal estar
tenham feito sua morada

Não consigo esquecer
a beleza da flor

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Confesso...



O medo não é meu norte

nem o ódio é meu mote

caminho por onde posso

faço o maior esforço

e nem sempre isso é suporte

na falta de um pouco de sorte

e se por acaso o acaso

cuidar do nosso caso

ele vai pro fundo do poço

não sendo forte

só posso fazer um recorte

e lhe confesso

de todo alvoroço

só vai restar um aroma insosso.