segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Incongruência


Ao poeta pertence as metáforas

nelas qualquer dor cabe

o imenso da dor contido

no elástico da metáfora


É isso que o poeta faz

manter a dor na palavra.


(mas a dor não passa)


16 comentários:

EDER RIBEIRO disse...

Expressar,´por palavras, as dores contidas é uma maneira de esticá-la até que quebre o elo que se liga a nós.

✿ chica disse...

Muito lindo o modo como te expressas poeticamente!beijos, ótimo dia,chica

Graça Pereira disse...

Maravilhoso e...verdadeiro!!
Mil beijos.
Graça

José Doutel Coroado disse...

Cara Angela,
Gostei!
abs

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Ângela. Um poema lindo que descreve muito bem o poeta e seus sentimentos, que na minha opinião, oscilam entre a felicidade e a tristeza.
Um beijo na alma, e fique na paz!

Lau Milesi disse...

Olá Angela,o título do seu poema já é poesia pura. :)

Mas lembrei de Manoel de Barros ao ler seus belos versos:

"Escrever nem uma coisa
Nem outra -
A fim de dizer todas -
Ou, pelo menos, nenhumas.

Assim,
Ao poeta faz bem
Desexplicar -
Tanto quanto escurecer acende os vaga-lumes".

Beijoss

Passei rapidinho aqui, estou ralando. :)

As Tertulías disse...

manter a dor na palavra... essa "figura" me impressionou, me atingiu, me emocionou, doeu... Angela, que maravilha o que voce transmite... Chapeau (Já devo ter dito isso mais de cem vezes para voce... e repetirei por mais tres mil...)
Carinho
do
Ricardo

Maria José Rezende disse...

Olá Angela. Você escreve maravilhosamente bem. As suas palavras são fortes e ficam por algum tempo, circulando na mente. Beijos.

lis disse...

E os poetas usam da licença poética e nos presenteia com belas metáforas.
Até porque ali cabe toda dor... não é Angela? rs
gosto muito do elástico para mante-la em equilíbrio com o prazer!
beijinhos

✿ chica disse...

Voltei pra te agradecer e desejar um lindo fds!beijos,tudo de bom,chica

✿ chica disse...

Esqueci de dizer: ando mais sumida pois maridão com probl. de saúde...Devemos iniciar a Radioterapia... Mas há de dar certo! bjs,chica

Pepi disse...

Viemos retribuir a visitinha e desejar um lindo e abençoado final de semana.
Com todo carinho de
Verena e Bichinhos

"quicas" (joaquim do carmo) disse...

Liberte-se a palavra, acabe-se com a dor! E a poesia nasce...
Beijinho
Quicas

MM´s disse...

Muito bonito seu poema, poeta Angela.Mas o leitor pode se apropriar das metáforas do poeta e transformar a dor em dorzinha de nada.
Beijosss e obrigada pela força no nosso blog.
Marcia

Al Reiffer disse...

Muito bem dita a maldita maldição do poeta. Abraços!

JG Costa disse...

... Não passa... Pode-se até definir poeticamente um motivo, mas a dor de fato permanece, invariavelmente pela vida vida toda!

Abraços renovados!