quinta-feira, 3 de maio de 2012

o céu rouba da terra suas cores




hora do equivoco
nem claro nem escuro
mágicas luzes
de fim de tarde
quando o sol
recolhe as cores da terra
e por alguns instantes
enche o céu de vermelhos
amarelos azuis roxos
fúcsias

quando desaparecem

resta à terra negra
o brilho prata da lua
o piscar das estrelas

Até a aurora